Guia de SEO Enterprise

Quer Saber o que é SEO? O marketing digital é a chave para geração de negócios na internet, com a mudança drástica no formato de trabalho e panorama de saúde pública mundial, as estratégias de marketing digital se consolidou de vez em empresas de todos os portes.

O SEO é apenas uma das verticais que compõem o Marketing Digital 360, mas sem dúvida é vital para o sucesso de qualquer projeto.

Neste conteúdo você vai entender o SEO como um todo. Destacamos o SEO como base para qualquer projeto de sucesso na internet e você vai entender isso no conteúdo abaixo.

No Guia de SEO Enterprise você encontra informações sobre:

  1. O que é SEO
  2. O que sao buscadores ou motores de busca
  3. Como funcionam os buscadores
  4. Algoritmos do Google e a constante atualizaçao do SEO
  5. Quais os fatores de rankeamento do Google para SEO
  6. Flash SEO - AMP
  7. Porque fazer o uso da tecnologia no cenário de SEO
  8. Arquitetura interna de SEO
  9. Links Internos
  10. Sitewide Links
  11. O que sao Backlinks
  12. Black Hat SEO
  13. White Hat SEO
  14. Definir Objetivos de Marketing Digital com SEO
  15. Definir nicho no mercado digital
  16. Ferramentas Básicas e Completas de SEO e marketing
  17. Porque os profissionais e empreendedores de marketing precisam de uma ferramenta de SEO completa
  18. Como uma ferramenta de SEO aumenta a produtividade da equipe
  19. Google Analytics
  20. Google Search Console para SEO
  21. Quais as principais ferramentas do Google Search Console
  22. Bing Webmaster tools
  23. Como usar o Bing Webmaster: guia para iniciantes
  24. Google Tag Manager
  25. PageSpeed - Velocidade do site
  26. Pesquisa de Palavras-chave, o que é e como funciona
  27. Tipos de buscaFerramentas de palavras-chave
  28. Outras importantes ferramentas de SEO e Palavras-chave
  29. Tudo sobre SEO interno
  30. Marcações importantes de SEO
  31. Como fazer Otimização de SEO
  32. URL amigável
  33. SEO de imagens e Atributo ALT
  34. Links Internos
  35. Schema Markup ou Snippets
  36. Open Graph
  37. Tempo de carregamento
  38. CDN
  39. Reduzir CSS e JS inutilizado
  40. Auditoria Tecnica e Links quebrados
  41. Erros 400
  42. Erros 500
  43. Lazy de imagens
  44. Sitemap.xml
  45. Robots.txt
  46. PWA
  47. SEO externo
  48. Tipos de marcação para backlinks
  49. Sinais sociais e o SEO
  50. SEO Local
  51. Conclusão geral sobre SEO
  52. Checklist SEO Onpage
  53. Checklist SEO Offpage


o que é SEO, guia Enterprise para chegar na primeira pagina - webpeak
SEO da resultado?

O que é SEO

SEO (Search Engine Optimization) em português significa Otimização para mecanismos de Busca. Em outras palavras, as ações de SEO em seu site, ajudam os motores de busca, como o Google, a notarem seu negócio na internet.

O conhecido Search Engine Optimization (SEO),  também chamado popularmente como otimização de sites, pode ser rapidamente definido como uma forma de aumentar os acessos do seu site através de um conjunto de técnicas e estratégias que que possibilitem a evolução das páginas e melhore seu posicionamento nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca, claro que o posto mais almejado até então ainda fica por conta do Google.

Sendo assim, se o seu interesse é melhorar o rankeamento das suas páginas, aumentar o número de visitas orgânicas dentro do seu site e mostrar para o mundo a sua marca, então talvez seja a hora de começar a investir em SEO.

Ainda existem os céticos, que andam dizendo por aí que o SEO não está mais vivo. Porém, essas teorias já foram desconsideradas uma vez que uma empresa começa a praticar a otimização dentro das páginas de negócio, e pode ter certeza que os resultados são mais positivos possíveis.

Outro ponto importante é que para investir em SEO você não precisa gastar rios de dinheiro. Nas campanhas de marketing, o SEO tem um grande peso para os resultados e com um custo beneficio bem acessível. 

É muito simples. O próprio administrador ou desenvolvedor do site deve utilizar o conceito de SEO nos projetos do site de forma a melhorar os aspectos de otimização interna que contribuem para o bom posicionamento das páginas.

O que são Buscadores ou motores de busca?

Um buscador ou motor de busca é um sistema que permite a busca de todo tipo de termos e palavras-chave, a partir do desenvolvimento de índices de arquivos armazenados em servidores web. 

Na internet atual, um buscador é um sistema que opera com a indexação de arquivos e dados na web para facilitar a busca de termos e conceitos relevantes ao usuário com apenas uma palavra-chave sendo acessada. 

Ao entrar no buscador, a aplicação devolve uma lista de endereços Web nas quais tal palavra está incluída ou mencionada. A utilização dos buscadores web se tornou um dos principais motivos de uso da Internet, facilitando a obtenção de informação e o trabalho de índole investigativa, mas também com fins sociais, recreativos e pessoais.

Tipicamente, os buscadores são motores de busca, ou seja, bases de dados que incorporam novos termos em forma constante e automática, ou então, índices temáticos, sistemas que precisam de um componente humano e manual para a entrada e designação de sites web a palavras-chave e categorias. 

Há diferentes tipos de aplicações considerados motores de busca. Existem os buscadores hierárquicos também chamados aranhas ou spiders, os diretórios, os mistos de buscador e diretório, os metabuscadores, os buscadores verticais e muitos outros. Entre os buscadores mais populares da época estão: Google, Zoom, Bing, Ask, Bondfaro, Altavista e muitos outros.

O SEO se tornou um processo aplicado em diversos tipos de tecnologia. Exemplo profissionais que são focamos em melhorar a otimização de seus anúncios em marketplaces. O conceito de SEO pode ser aplicado além dos buscadores, mas também melhorando a forma de se posicionar em redes de video, comparados de preço, etc.

Como funcionam os buscadores?

Na essência, todos os sites de busca funcionam do mesmo jeito: montam um banco de dados com o texto de milhões de páginas e mostram aquelas que têm a ver com a palavra que você digitou na tela de procura. A diferença está nos detalhes.

Por exemplo: que página deve aparecer primeiro? Se você digitar algo como “São Paulo”, o site de buscas não sabe se você está atrás de informações sobre a maior cidade do país ou sobre o santo. Mas ele tem que dar um jeito de “saber o que você está pensando”. 

Cada site usa fórmulas específicas para ordenar os resultados de uma pesquisa. O jeito mais comum, hoje, é colocar no topo da lista as páginas que recebem mais links de outros sites.

Mas o endereço de busca mais popular na rede, o Google (www.google.com.br), inventou um jeito de ir mais longe: o link de uma página respeitada vale mais que um link qualquer.

Os gênios por trás da tecnologia de busca do site são dois engenheiros da computação: Sergey Brin e Larry Page, que apresentaram o Google num artigo de divulgação científica de 1998. Na época, o site era só um projeto de faculdade, para a Universidade de Stanford, na Califórnia. Hoje, vale pelo menos 20 bilhões de dólares!

De olho em todos esse potencial de buscas, foi “criado” o SEO. Que nada mais é que o trabalho de qualificação das páginas web, de forma que elas se tornem relevantes para as buscas interessantes aquele site.

Algoritmo do Google e a constante atualização do SEO

Os algoritmos são sequências de ações executáveis que busca a solução para um problema. No caso do Google, o objetivo é ler os conteúdos das páginas da internet, indexá-las, verificar quais são as mais relevantes e apresentá-las na página de resultados do buscador (SERP para SEO)

Para realizar esse processo, existe um crawler, ou seja, um software que salva (e rastreia) as páginas da web em sua base de dados, exceto as que bloqueiam o acesso ou estão em desacordo com o comando interno. Esse é o trabalho do Googlebot.

O que ele faz é rastrear todo o conteúdo da internet e adicionar um a um ao índice do Google. A partir disso, é feita uma análise de diferentes variáveis, como título, URL e texto. O resultado é uma classificação das informações disponíveis.

O objetivo é trazer um conteúdo relevante, útil e de qualidade para o usuário. Por isso, o crawler do Google está em constante atualização para se tornar mais exigente e complexo.

Veja Aqui rapidamente como acontecem as atualizações do Google, que afetam diretamente nas estratégias de SEO. Cada atualização recebe um nome e acontece de tempos em tempo.

Atualização de SEO  - Panda (2011)

O Google puniu conteúdos de baixa qualidade, o que levou a um impacto de 12% nos resultados da busca.

O Panda é uma atualização do algoritmo do Google passou a ranquear sites de acordo com o conteúdo apresentado ao usuário. O objetivo era punir sites que mostravam conteúdo de baixa qualidade e copiado de outros sites, assim fazendo o SEO valer a pena. Até aquele momento era comum sites com pouco conteúdo e de baixa qualidade ranquearem muito bem na SERP.

O uso de estratégias de content farm também era bastante difundido. Portanto, produzir conteúdo relevante e original passou a ser uma tarefa primordial na estratégia de SEO. O Panda está em constante atualização desde 2011.

Desta forma, quando foi lançada a versão 1.0 do Panda, ela revolucionou o trabalho de SEO, pois foi preciso alterar as estratégias de conteúdo, pesquisa de palavras-chave e até o trabalho de link building. 

Atualização de SEO  - Penguin (2012)

O foco foi impedir o black hat, ou seja, formas de ludibriar o algoritmo. O impacto foi em 3% dos resultados.

O Google lançou em 2012 (e versões posteriores nos anos seguintes) uma atualização de seu algoritmo focada em aperfeiçoar os resultados das buscas. Enquanto o Panda pune sites com conteúdos de baixa qualidade, o Penguin visa identificar estratégias de linkbuilding consideradas não legítimas, que visam manipular os resultados da SERP.

Com o Penguin, o algoritmo do Google consegue fazer uma leitura do perfil de backlinks que apontam para o seu site, punindo caso seja interpretado que foram utilizadas táticas spam ou black hat.

Desde o lançamento do Penguin, a maioria das estratégias de linkbuilding deixaram de ter efeito e muito sites foram punidos, perdendo ranqueamento por conta da construção de backlinks não naturais. Afinal, o SEO sempre preza pela qualidade.

O Penalty Checker é uma ferramenta que permite descobrir se um site foi punido pelo Penguin. Uma análise mais aprofundada identifica exatamente o motivo e como reverter uma punição sofrida.

Atualização de SEO  - Hummingbird (2013)

O objetivo central aqui foi aprimorar os resultados. Dessa forma, foi inserido o campo semântico nas pesquisas. 

Ou seja, proporcionar ao usuário resultados mais ágeis e precisos foi o objetivo do algoritmo Hummingbird (beija-flor, em inglês), lançado em 2013. O conteúdo se tornou o fator de ranqueamento mais importante do Google nos últimos anos com atualizações de algoritmo como Penguin e Panda. O Hummingbird veio para complementar esta tendência.

A atualização do Hummingbird tem por função mostrar resultados que vão além da palavra-chave buscada pelo usuário. O Google passa então e levar em conta o campo semântico do termo pesquisado, bem como o contexto no qual o termo está inserido, além de considerar a relação desta busca específica com as pesquisas passadas feitas pelo usuário. Aqui as palavras-chave e seu contexto dentro da página, se tornam mais importantes para o trabalho de SEO.

Por exemplo, quando você busca por “comprar automóvel” é bem provável que o resultado desta busca já inclui termos como “carro”, “veículo”, “concessionárias”, “dicas para comprar carro”.

Com as atualizações do algoritmo do Google, o trabalho de SEO se transformou nos últimos anos e se tornou cada vez mais complexo. Estratégias mais simples e que costumavam gerar resultados em termos de ranqueamento se tornaram obsoletas como, por exemplo, criar um site com a URL específica da palavra-chave que você quer trabalhar.

Esta era uma prática comum e que dava resultado. No entanto, atualmente, você pode criar este site, mas apenas a URL não fará seu site ranquear bem se não houver um ótimo conteúdo para o usuário.

Outra prática comum e que se tornou obsoleta é o chamado keyword stuffing. Ou seja, espalhar a palavra-chave diversas vezes no conteúdo de forma forçada. Como o Google trabalha agora com o campo semântico, tornar o texto mais orgânico e fluido é a melhor estratégia. 

O ideal é que palavras-chave e termos relacionados sejam trabalhados no decorrer do texto e nas headings tags (H1, H2, H3, H4, etc).

Atualização de SEO  - Pigeon (2014)

O trabalho foi a apresentação de resultados de busca local. O impacto foi significativo. A estimativa foi de que metade dos sites caíram na SERP, enquanto os pequenos e médios ganharam força.

Pigeon (pombo, em inglês) é uma atualização do algoritmo do Google lançada em 2014 que passou a beneficiar sobretudo pequenas e médias empresas. O pombo foi o responsável por conferir maior relevância para buscas locais, como isso o trabalho focado em SEO para buscas locais se tornou ainda mais importante.

A partir do Pigeon, quando uma busca é feita no Google a SERP exibe resultados de empresas de acordo com a localização do usuário, mostrando comentários de outros usuários, distância, preço, endereço, contatos, entre outras informações.

Atualização de SEO - Mobile Friendly (2015)

Os sites responsivos passaram a ficar mais bem posicionados na SERP.

A maior parte da população mundial acessa internet por meio de dispositivos móveis (smartphones e tablets). A atualização Mobile Friendly foi lançada com objetivo de ranquear melhor sites que se preocupam em ter versões otimizadas para dispositivos móveis, melhorando a experiência do usuário (UX).

Na época do lançamento, em 2015, estimava-se que mais de 60% das buscas no Google eram feitas através de dispositivos móveis.

A atualização do Mobile Friendly veio justamente adaptar o Google à nova tendência de comportamento de buscas dos usuários, e transformando sites mobile friendly em fator importante de ranqueamento. O interessante é que a mudança não afetou apenas pesquisas feitas via dispositivos móveis, ela influenciou inclusive o resultado de buscas feitas em desktops.

A partir desta nova atualização do algoritmo do Google, páginas que sejam mobile friendly receberão do Google um impulso nos resultados da SERP. Com isso, o Google exibe somente páginas que sejam amigáveis, facilitando a vida dos usuários. Ou seja, se o seu site não é mobile friendly, ele perderá posicionamento e tráfego.

Por isso, desde a atualização Mobile Friendly possuir um site com design responsivo se tornou uma obrigação, mais do que uma opção. Possui um site mobile friendly não deve uma tarefa apenas por exigência do Google, afinal, a tendência é que os acessos feitos por meio de celulares e tablets continuem aumentando e ter um site responsivo melhora a experiência do seu usuário.

Independentemente de o Google ranquear melhor sites amigáveis, ter um site que seja bem visualizado em celulares e tablets é importante para o sucesso do seu site. As principais ferramentas de SEO já levam em consideração esse índice.

Atualização de SEO  - RankBrain (2015)

A  inteligência artificial e o machine learning passaram a ser usados para entender a busca do usuário.

Fornecer conteúdo de qualidade é um passo primordial neste sentido. Para que o robô do Google entenda que o seu site é relevante para o usuário é importante que o conteúdo do seu site possua algumas características, tais como:

O rankbrain é a inteligência artificial criada pelo Google para auxiliar no processamento das buscas. O sistema é parte do algoritmo do Google que se utiliza do aprendizado da máquina para aperfeiçoar a apresentação dos resultados na SERP.

O aprendizado da máquina significa que o sistema detém conhecimento da mesma forma que o ser humano, ou seja, conseguindo fazer conexões entre informações já adquiridas e novos dados sem precisa que um ser humano ensine a máquina.

Na prática, o rankbrain permite que o algoritmo do Google, a partir da atualização Hummingbird, consiga mostrar resultados que estão indiretamente relacionados ao termo da busca.

O rankbrain é especialmente útil quando a busca ocorre por termos mais específicos, conhecidos como cauda longa.

Devido à especificidade a busca, os resultados seriam limitados, com o rankbrain o Google consegue apresentar resultados mais genéricos, mas que podem auxiliar o usuário, melhorando a experiência do indivíduo.

Em 2019, vários foram os updates do algoritmo. A mais recente, efetivada em novembro de 2019, e de maior impacto é a Bidirectional Encoder Representatios from Transformers (BERT). Essa é uma tecnologia de rede neural que melhorou o processamento de linguagem natural.

Quais os Fatores de Rankeamento do Google para SEO?

Fatores positivos de Ranking SEO

O Google tem mais de 200 fatores de ranking SEO e inúmeras combinações deles. É seguro assumir que nem todos foram revelados e talvez nunca sejam.

Enquanto não descobrimos o segredo completo, temos que nos contentar com aquilo que sabemos e podemos melhorar.

1. Palavras-chave

As palavras-chave ajudam a melhorar o ranking SEO, porque elas ajudam as pessoas a encontrarem o que procuram. Se você quer conquistar melhores classificações no Google, você precisa incluí-las no seu website.

Onde as palavras-chave ficam:

  • Endereço de URL: desde o nome do domínio até as subpastas, e o URL exclusivo de cada página;
  • Tag Title;
  • Tag Description;
  • Tags <H1>, <H2>, <H3> e <H4>;
  • Nomes de arquivos das imagens;
  • Atributos ALT das imagens;
  • Legendas de imagens;

As palavras-chave mais eficazes são aquelas que capturam a intenção de pesquisa do usuário e têm um alto volume de pesquisa. 

O primeiro ponto é algo mais intuitivo e cabe a você descobrir.

Mas o segundo pode ser facilmente mapeado com uma poderosa ferramenta de SEO, como o Recurso de Palavras-Chave da WebPeak.

ranking guia de seo enterprise - webpeak

2. Conteúdo

Texto, imagens, áudio, vídeo ou combinações de todos eles. 

Se você quer melhorar seu ranking SEO no Google, o conteúdo é seu principal ativo.

Mas se você quer alcançar a primeira página do Google, há dois pontos que merecem sua atenção nos conteúdos: qualidade e relevância. Basta negligenciar um desses pontos, e você será superado por inúmeros sites que investiram em ambos.

Como melhorar seu conteúdo?

  • Otimize seu conteúdo para as palavras-chave que você deseja classificar.
  • Dê ao seu conteúdo um design atrativo e intuitivo.
  • Antecipe a intenção de pesquisa dos usuários e prepare um conteúdo que atenda da forma mais completa possível, respondendo a qualquer pergunta possível que eles possam ter.
  • Se o seu objetivo é converter, planeje como você guiará os usuários pelo conteúdo até o CTA e como encerrará a oferta.

3. Compatibilidade com dispositivos móveis

Com o aumento no número de buscas por meio de dispositivos móveis, o ranking SEO tem prioridade para o Google. Uma boa classificação nos celulares e tablets pode impulsionar sua posição via desktop.

O que você pode fazer:

  • Torne seu site compatível para dispositivos móveis;
  • Adote um design responsivo;
  • Faça bom uso do espaço negativo;
  • Aposte em elementos interativos;
  • Use imagens otimizadas;
  • Preste atenção na tempo de carregamento página.

Quer saber como você está seu ranking SEO para dispositivos móveis? Teste seu site com a ferramenta de análise de rank da WebPeak.

4. Backlinks

Backlink é outro fator poderoso para seu ranking SEO. Quando outros sites redirecionam tráfego para você, o algoritmo do Google entende que você é melhor do que os outros e classifica você de acordo. Então, é simples assim? Claro que não.

Que tipo de backlinks te ajudam classificar:

  • Links Dofollow e Nofollow - o Google duvidará da qualidade do seu site se você tiver apenas um dos dois;
  • Links de muitos domínios diferentes;
  • Links de sites com uma autoridade de domínio superior à sua;
  • Links de páginas cujo conteúdo é contextualmente relacionado aos do seu site;

Naturalmente, perder backlinks prejudica sua posição no ranking SEO. Por isso, é importante monitorar de perto a saúde dos backlinks existentes e traçar uma estratégia para conquistar novos. Neste sentido, a Auditoria de Backlinks é fundamental!

5. Taxas de cliques

Um site otimizado pode perder sua posição se não estiver obtendo cliques suficientes, por exemplo. Se o Google vê esse site na primeira página, logo percebe que talvez ele não mereça estar lá.

É por isso que, quando seu site aparece nos resultados de pesquisa, ele deve ser impossível resistir. Os usuários devem olhar para ele e pensar: "Encontrei o que estava procurando!".

Como você pode fazer isso? Você precisa preencher tudo que influencia no resultado de pesquisa e seguir as melhores práticas de SEO.

Alguns fatores de SEO que você NÃO pode ignorar:
  • Título: As palavras certas podem fazer maravilhas pelos seus títulos.
  • Descrição: As meta descrições têm uma dupla-função, a de convencer rapidamente o usuário (e o Google) que você tem o que ele procura.
  • Schema Markup: Este é o seu recurso mais poderoso para aumentar a taxa de cliques. Marcando os elementos nas páginas do seu site, você pode disponibilizar informações adicionais nos seus resultados de pesquisa e torná-los mais atraentes.

Fatores negativos de Ranking SEO

Até o momento, você conheceu fatores positivos do ranking SEO do Google. Agora, vou mostrar mais cinco fatores de classificação - dessa vez, negativos.

6. Altas taxas de rejeição

É impossível agradar a todos e impossível ignorar essa métrica no trabalho de SEO. Para alguns usuários o seu conteúdo não será útil, fazendo com que eles saiam de seu site logo após acessá-lo. Isso pode ser chamado de bounce rate ou taxa de rejeição, e é praticamente inevitável.

Mas quando o Google Analytics mostra que sua taxa de rejeição está mais alta que o normal, é hora de se preocupar. Isso pode significar que seu conteúdo é realmente ruim!

Solução: encontre as páginas com as maiores taxas de rejeição e tente melhorar a qualidade do conteúdo. É possível que eles estejam otimizados para palavras-chave erradas ou não respondam às perguntas dos usuários.

7. Erros técnicos

Erros técnicos dificultam a experiência do usuário e podem até mesmo tornar o site completamente inutilizável. Certos erros, como links quebrados, podem impedir que o Google rastreie seu site, o que significa problemas para seu ranking SEO. E a pior parte é que, às vezes, não é culpa de ninguém.

Solução: verifique se há erros no seu site e corrija-os o mais rápido possível.

8. Uso inadequado de palavras-chave

As palavras-chave devem ajudar a classificação do seu site, mas usá-las incorretamente pode impedir que ele suba no ranking SEO.

Solução: use as palavras-chave como você as usaria naturalmente na linguagem falada e escrita. Evite otimizar páginas diferentes para o mesmo conjunto de palavras-chave. E, o mais importante, escolha as palavras-chave que tenham mais chances de gerar tráfego para o usuário.

9. Pop-ups e anúncios intrusivos

Há muitas extensões de navegador que bloqueiam anúncios indesejados, o que deve ser suficiente para mostrar que os usuários detestam essas coisas.

No entanto, os pop-ups conseguem contornar as defesas com muita frequência. E isso é particularmente ruim em dispositivos móveis com suas telas pequenas.

Solução: só… não use pop-ups intrusivos no seu site.

10. Negligenciar a segurança do site

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a segurança on-line. Ninguém quer informações pessoais e dados confidenciais caindo nas mãos erradas.

Portanto, se houver um pequeno indício de que a segurança do seu site está comprometida, os usuários passarão para um site mais seguro.

Solução: duplique a segurança do seu site. Fique atento a qualquer sinal de invasão e tome medidas imediatas se isso acontecer.

Está se sentindo mais confiante agora? Use as melhores ferramentas de SEO e veja seu ranking SEO subir.

E sobre velocidade do site, interfere no SEO? É claro que usuários e administradores de sites desejam a melhor performance em suas plataformas. Existem algumas maneiras de fazer as adequações que melhoram a velocidade das páginas, e novas tecnologias chegam para somar.

o que é seo, guia enterprise pra chegar na primeira pagina - webpeak

Flash SEO - AMP

A tecnologia AMP manipula os códigos HTML das páginas para gerar uma conexão mais leve e veloz, é possível fazer como se fossem algumas marcações em camadas no site, apresentando o conteúdo de forma rápida.

Todos nós passamos por momentos indesejáveis com a velocidade da internet, em uma época que tudo precisa ser feito o quanto antes, isso às vezes dificulta o acesso a algumas informações.

Já foi comprovado que, após 30 segundo de espera a maioria dos usuários desistem de acessar a página. Isso é um fator preocupante se formos colocar em termos de negócios, quantos fechamentos comerciais não são perdidos virtualmente por conta de alguns segundos?

Não apenas pelo fato de negócios não concluídos, mas vale também pela experiência dos usuários nas páginas da internet, muitas vezes o acesso a uma notícia é deixado para trás por não atingir a velocidade necessária.

Foi por todos estes fatores que o Google criou o AMP (Accelerated Mobile Pages), ou traduzindo Páginas Móveis Aceleradas. A proposta é que essa tecnologia carregue websites quase que imediatamente em dispositivos móveis.

Como funciona o AMP?

A tecnologia AMP manipula os códigos HTML das páginas para gerar uma conexão mais leve e veloz, é possível fazer como se fossem algumas marcações em camadas no site, apresentando o conteúdo de forma rápida.

Um link em AMP consegue obter de forma mais rápida as informações do servidor, e apresenta ao usuário para que comece a leitura antes mesmo de carregar. Dentre outras questões, um dos pontos é que a página acelera pelo fato de possuir uma interface pré-montada, evitando assim desgastes extras com o processamento.

Embora a tecnologia tenha sido pensada para dispositivos móveis, ela também funciona para desktop, a AMP oferece suporte para qualquer sistema que funcione os navegadores Chrome, Firefox, Opera.

As vantagens da Tecnologia AMP para SEO 

Quanto mais rápido o acesso às páginas, melhor para os usuários, principalmente quando se trata de dispositivos móveis. Vale investir em algo que garanta a quantidade de acessos e permanência nas páginas do seu site.

Outro fator importante é o impacto que o AMP causa inclusive no SEO. As páginas que possuem a tecnologia AMP possuem um destaque maior nos resultados de busca, consequentemente geram mais visualizações para o site.

Embora seja importante para posição do site dentro do Google, a tecnologia ainda não é um fator que afeta o ranking orgânico da plataforma, contudo atualmente o destaque inicial após os anúncios são exatamente o carrossel de notícias que aplicaram a tecnologia AMP no código.

Como configurar o AMP

São necessários três conceitos chaves para implementação de uma página AMP, são elas: AMP HTML, AMP JS e AMP CACHE.

AMP HTML é simplesmente um HTML que utiliza algumas regras e fatores customizados do AMP.

Todo conteúdo que normalmente alteram o tamanho da página em quando está em processo de execução. 

AMP JS aplica as melhores formas de otimização de performance, garantindo o funcionamento das tags personalizadas que o AMP HTML disponibiliza.

AMP CACHE é responsável por apresentar as páginas AMP com o menor tempo de carregamento possível.

Algumas plataformas já possuem plugins que facilitam a configuração, a WordPress é uma delas.

Por que fazer uso da Tecnologia AMP no cenário de SEO

A velocidade é um dos fatores predominantes no quesito experiência do usuário.

Sites mais rápidos contribuem para essa qualidade e consequentemente vendem mais.

Um link em AMP consegue obter de forma mais rápida as informações do servidor, e apresenta ao usuário para que comece a leitura antes mesmo de carregar.

Por isso é de extrema importância a atualização para melhorar o posicionamento das páginas, e garantir a melhor experiência aos usuários. Lembre-se que o SEO está cada vez mais olhando sob o olhar do usuário.

Arquitetura Interna de SEO

SEO On page são todas as estratégias utilizadas na página da marca, empresa e afins. Entretanto, são aqueles itens relacionados com a otimização do conteúdo do site. 

Vamos contar tudo para você! 

O que são os Heading Tags (H1, H2, H3,...) 

São recursos de programação HTML que são utilizados para destacar títulos e subtítulos de uma página. 

Conceitualmente, o H1 possui um destaque maior, uma fonte maior, e é geralmente o elemento de texto mais visível da página, conhecido também como o assunto principal em destaque, o ‘’título mãe’’.

Utiliza para determinar o principal assunto abordado em uma página, visto que o título de uma página conceitualmente define o conteúdo. Em plataformas como o WordPress, basta colocar no campo disponível para colocar o título principal. 

Ter a presença da palavra-chave nos títulos e subtítulos é bem importante para ranquear organicamente. 

Exemplo de Heading Tags:

  • <h1>Como fazer Otimização SEO Grátis</h1>
  • <h2>Como fazer Otimização SEO Grátis</h2>
  • <h3>Como fazer Otimização SEO Grátis</h3>
  • <h4>Como fazer Otimização SEO Grátis</h4>

Aqui vamos às regras finais, e muito simples, que você pode seguir para a elaboração de títulos no seu site com foco em SEO:

  • Crie um único título por página;
  • O título precisa ter relação com o conteúdo da página;
  • Explore a principal palavra-chave do conteúdo (e se possível, não deixe de investir, em outras variações);
  • Ponha a sua marca no final do título (sempre que julgar a sua marca um diferencial);
  • Evite escrever uma série de inúmeros termos separados por vírgulas.

Como elaborar as meta descrições SEO

Uma meta descrição trata-se de um pequeno texto que aparece abaixo do título da página nos resultados das buscas, e serve como um resumo do que o usuário encontrará ao clicar naquele link, funciona como um elemento de atração.

Uma vez que esse item defina se alguém visitará ou não o seu site, é importante que ele seja elaborado de maneira correta. Nesse sentido, é importante acrescentar a palavra-chave na área, como forma de aumentar a relevância.

Porém, não deixe de criar uma chamada criativa e que atue de modo a persuadir. Utilize palavras de impacto de modo a incentivar o usuário a clicar na página.

Outra recomendação importante é manter o tamanho dentro de parâmetros ideais. O recomendado é que tenha no mínimo 120 caracteres e, no máximo, 156. Desse modo, ficará visível, sem textos cortados de forma abrupta e irá manter o máximo de resultados.

Quais são as Palavras-chave ideais para SEO

As palavras-chave estão entre os pontos essenciais de uma otimização SEO grátis. Como são os menores elementos que definem um assunto, elas são utilizadas nas buscas por usuários, e todos já fizeram isso ao buscar algo no Google.

Alguém que busca por materiais, arquivos, documentos acerca de questões de gênero, por exemplo, provavelmente buscará por “pesquisas de gênero”.

Um artigo bem ranqueado com a palavra-chave “pesquisa de gênero”, possivelmente, receberá a atenção de boa parte dos usuários que fazem a pesquisa, logo, irá ganhar visita e notoriedade. 

Para obter bons resultados, as palavras-chave precisam ser encontrados corretamente, como com ajuda de ferramentas específicas. Ao invés de priorizar as muito curtas e genéricas (chamadas de short tail keywords), o ideal é dar preferência para as conhecidas como cauda longa (long tail keywords). Essas normalmente, contêm mais de 3 palavras e trazem uma abordagem profunda sobre o tema.

Vamos falar mais para frente sobre como encontrar as melhores Palavras-chave para a estratégia de SEO do negócio.

Por outro lado, isso diminui o volume de pesquisas, é uma forma de aumentar o tráfego qualificado, de modo orgânico. 

Otimização de URLs

A URL ou endereço de uma página é um elemento importante tanto para o buscador quanto para o usuário. A URL traz uma ideia do que existe naquela página e antecipa o assunto antes mesmo que a visita seja realizada, garantindo melhor experiência para o visitante. 

Para entender melhor com as URLs interferem no SEO, considere essas 2 URLs:

  • www.webpeak.com.br/blogs/?p=561333
  • www.webpeak.com.br/blogs/dicas-e-estrategias-de-seo-on-page

A URL 2 é muito mais fácil de ler e de prever o conteúdo existente.

O indicado é que ela conte com a palavra-chave, que vai ajudar no ranqueamento e na compreensão. Ao mesmo tempo, é muito importante deixá-la o mais curta possível. Para isso, evite palavras e elementos de ligação e tente concentrar o assunto na menor estrutura viável.

As URLs otimizadas são boas tanto para o usuário que visita o site quanto para os algoritmos dos buscadores. 

Um dos primeiros passos para você facilitar que o robô do Google encontre facilmente os temas que você aborda nas suas publicações é utilizar URL amigável.

o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina - webpeak

Palavras-chave nos conteúdos publicados

Não adianta selecionar os assuntos corretamente se eles não forem aproveitados de modo adequado. Para isso, é fundamental usar as palavras-chave nos conteúdos publicados. Especificamente, as postagens em blog.  

É uma convenção utilizar a palavra-chave selecionada, pelo menos, na introdução, na conclusão e 1 vez durante o conteúdo. Porém, balancear essa estratégia de acordo com o tamanho do conteúdo é o ideal. Se possível, aplicá-la em um dos intertítulos aumenta a relevância do conteúdo, especialmente se for no 1º.

Cuidado: Palavra-chave em excesso (o chamado keyword stuffing) pode ser prejudicial. Simplesmente acrescentá-la para aumentar a sua densidade é uma prática ruim e que o Google irá penalizar. Ao invés disso, acrescentar sinônimos e variações relevantes do tema é o caminho assertivo. Como os buscadores têm se tornado cada vez mais semânticos, a produção ganhará relevância e terá destaque.

Para não esquecer: Retire conteúdos duplicados

Se tratando das penalidades do Google, o plágio é um dos maiores problemas quando se fala em SEO. Se o mecanismo de busca interpretar que um conteúdo é a cópia de outro mais antigo, dará uma punição de não indexação.

O grande desafio é que pode acontecer uma situação de autoplágio. Inúmeros endereços do seu blog podem direcionar para uma mesma página, dando a ideia de que são conteúdos diversos.

Nesse caso, o algoritmo irá entender que são conteúdos que deveriam ser diferentes e irá identificar o conteúdo duplicado. Para evitar a penalização, o certo é retirar os conteúdos, o que pode ser feito por meio das tags canônicas.

Para não esquecer: Adaptação mobile 

Uma pesquisa recente indica que há constante adeptos de mobile no mundo, e a expectativa é que essa cifra só aumente. Sabendo disso, o Google passou a priorizar os sites que possuem uma versão mobile ou responsiva. Ou seja… seu site precisa de um design capaz de se adaptar a qualquer tela.

Links Internos no SEO

Para determinar se o site é responsivo e que atende aos interesses de quem pesquisa, o algoritmo considera inúmeros fatores, como: 

  • confiabilidade do conteúdo 
  • tempo de permanência do visitante no site.

Os pontos destacados são muito favorecidos por uma estratégia de link building, ou seja, acrescentar links ao conteúdo.

Ao fazer referências de páginas externas de qualidade e autoridade, o buscador compreende que está sendo oferecido informação útil para os usuários. Por outro lado, ao fazer link building internamente de forma adequada, é provável que as pessoas passem mais tempo consumindo outros conteúdos.

Com isso, o algoritmo entende que a página tem qualidade e oferece posições melhoradas.

Dica: Para ter melhores resultados, não desconsidere o poder do guest post. Com bons parceiros, é possível aumentar o alcance de público e conseguir links de um domínio com boa reputação. Dessa forma, o algoritmo lê o site de uma forma otimizada, o que leva a um melhor resultado de ranqueamento.

SEO aplicado em Imagens 

Dicas e estratégias de SEO on-page - webpeak

Para o ranqueamento de imagens com SEO, o primeiro elemento se inicia ainda no seu computador, e é anterior ao upload da imagem para seus servidores: o nome do arquivo das mesmas.

SEO Imagens, ou seja, para otimizar suas imagens para o Google, o nome do arquivo da imagem é essencial, para compreender textos e a relevância de certos conteúdos usando um algoritmo e dando valor às palavras-chaves.

Por exemplo, imagine que um crawler vai ler o código HTML do seu novo conteúdo, que fala sobre os diferentes tipos de saias disponíveis no mercado.

Você seleciona uma bela imagem de uma saia longa para ilustrar o trecho que explica esse tipo de saia para o seu leitor. Porém, o nome do arquivo é “IMG438.png”. O que o crawler terá acesso é isso:

  • <img src=”IMG438.png”/>

Isso já te mostra que não é uma informação muito útil para explicar o conteúdo da imagem que você utilizou no conteúdo. Nesse sentido, veja como ficaria o código se o arquivo fosse melhor nomeado:

  • <img src=”saia_longa_preta_reta.png”/>

Mesmo sem ver a imagem, conseguimos imaginar como ela é com um nome desses, não é mesmo? Dessa forma, você facilita o entendimento para os algoritmos. 

Outros fatores a serem trabalhados na Estratégia de SEO: 

  • Legenda da imagem: o próprio buscador admite que faz uso das legendas para extrair informações e tentar compreender a imagem. 
  • Alt text: todas as imagens na Internet possuem um atributo ALT, que serve para descrever o conteúdo delas.
  • URL da imagem: organize a URL dos seus arquivos de mídia de forma lógica e concisa, para comunicar de modo rápido ao buscador que aquilo é uma imagem e qual seu conteúdo.
  • Dimensões da imagem: o Google tende a favorecer imagens mais ou menos retangulares, em proporções como 16:9 ou 4:3. O que faz com que dimensões como 1366 x 768 (16:9) ou 720 x 480 (4:3) tenham um rankeamento melhor do que imagens totalmente fora do padrão (como alguma coisa muito horizontal ou muito vertical).
  • Dados estruturados: outro ponto muito importante é que o Google Imagens usa o sistema de dados estruturados para criar certos “selos de destaque” para otimizar a busca dos seus usuários.
  • Formato da imagem: não é todo formato de imagem que consegue ser captado pelo Google Imagens. O formato mais utilizado é o JPEG, pois é aquele com maior capacidade de compressão e consegue entregar arquivos com tamanhos pequenos. Entretanto, como ponto negativo, ele não trabalha com transparências, como o GIF e PNG.

Links Internos

Você pode fazer alterações no seu site que transferem autoridade internamente e te fazem ranquear cada vez mais alto. Quer saber como? Aprenda a aproveitar o máximo do link juice do seu site utilizando as ferramentas da WebPeak, que foram criadas especialmente para você rankear melhor no Google.

Quanto mais conteúdo e páginas você tem, mais fácil é encontrar uma página que complementa o conteúdo da outra. 

A partir do desenvolvimento de conteúdos tratando de assuntos parecidos e complementares, é possível criar uma rede interna de links, em que quando o usuário está lendo um artigo, pode complementar o seu aprendizado entrando em outro post do nosso próprio site. Assim, aumentamos a quantidade de tempo que ele fica acessando nosso domínio e podemos impactá-lo de diferentes formas.

A forma ideal de ter uma boa rede de links internos é criando um mindmap de tópicos que você pretende abordar em seu site.

Depois de criar um mindmap, você irá entender como é simples perceber as ligações entre os artigos semelhantes. Tudo que você falar sobre SEO pode linkar em outro artigos de SEO e, às vezes linkar para artigos que falem sobre PPC. Ambos assuntos estão dentro de “marketing digital” e poderiam referenciar uma seção de autores de Marketing Digital a qualquer momento.

Em uma área totalmente separada do seu site estaria a parte institucional dele: página de contato, de “quem somos” e nossos serviços, certo? Essas páginas podem começar a linkar para seu conteúdo de posts e artigos sobre SEO, PPC e Marketing Digital, fortalecendo a estrutura interna.

Não esqueça também de sempre verificar se seus links internos estão bem criados. Caso mude algo na estrutura do site (redirecionamento de uma página, por exemplo), mude também o link interno para não perder juice, como mostramos no exemplo abaixo:

SITUAÇÃO ANTIGA

Página A (faz um link para) Página B.

SITUAÇÃO NOVA

Página B sofre redirecionamento para Página C.

Então, o Link vai de A para B e de B para C, sendo que o ideal é ir só de A para C.

Site Wide Links

Seu site tem uma sidebar ou um rodapé? Provavelmente sim, certo? Você já percebeu que eles se repetem em todas as páginas? E já parou para refletir como o Google considera os links dessas áreas?

Os porta-vozes do Google já afirmaram várias vezes que esse tipo de link é considerado como um. Ou seja: mil páginas fazendo links no rodapé são consideradas como apenas uma.

Sabendo disso, você poderia ser diferente da sua concorrência e segmentar os links sitewide por categoria: quando falar de educação, ter uma sidebar personalizada para essa categoria. Essa sidebar seria levemente (para não confundir o usuário) diferente da sidebar das páginas de esportes, por exemplo.

Outra situação muito comum é quando um site faz parte de uma rede de sites e há uma quantidade grande de links no rodapé entre todos esses sites.

Por mais que possa parecer uma boa prática de SEO, o Google só vai considerar esses links todos como um. Dessa forma, pode considerar que você está apenas diluindo seu juice e não está ajudando em nada o site de destino.

Com essas informações em mãos, quais alterações pretende fazer no seu site? Eis uma recapitulação básica:

  • Checar se seus links internos estão em bom estado;
  • Dar uma pequena prévia do que o link de destino entregará para o usuário;
  • Apontar links internos de páginas fortes para páginas novas que você quer posicionar;
  • Checar se seus links externos vão para páginas confiáveis e rápidas;
  • Avisar seu usuário caso o destino do link seja uma página lenta ou em outro idioma;
  • Personalizar suas colunas do seu site para que tenham links específicos em cada categoria;
  • Evitar troca de links entre sites de uma mesma rede de sites (isso pode gerar penalização no Google!).

O que são Backlinks?

Sites que fazem links externamente com consistência são bem vistos pelo Google. Um belo exemplo disso você deve conhecer: Wikipedia. Com conteúdo sobre todos os assuntos, os que mais ganham destaque são as páginas com vários links externos que corroboram o texto criado ou editado no artigo em questão.

E, mesmo assim, muitos teóricos do SEO propagam que não se deve linkar externamente pois isso “dilui o juice da sua página”. Ao mesmo tempo, você deve conquistar links externos, ou seja: pessoas perdendo o juice da página delas para você. Não é um pouco contraditório?

Não é difícil encontrar pessoas querendo conseguir links de alta autoridade, com ótimas métricas e reclamando que sites como Globo.com não fazem links externos para sites que não sejam do Grupo Globo. Mas, ao ler os textos dessas mesmas pessoas, você pode perceber que não há links externos também.

Para que você tenha um perfil de links externos de sucesso, verifique os seguintes passos:

SE O LINK NÃO ESTÁ QUEBRADO: você pode usar a ferramenta da WebPeak para isso, que rastreia todo seu site e encontrar links quebrados para você;

SE O SITE DE DESTINO É CONFIÁVEL: caso você diga que a Universidade de Harvard apoia seu argumento, você acha que isso corrobora ou não para seu discurso de venda?

Então…SE O SITE QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO UM LINK É RÁPIDO: você quer que seu usuário não se frustre com seus links, certo? É comum que sites lentos faça com que leitores se irritem. 

Um bom exemplo disso é o site da Caixa em época de grande tráfego como saques do FGTS. Por isso, avisar perto do texto âncora que o site de destino é lento é uma boa forma de evitar bounce rate.

Backlinks: Por que se preocupar com o link building?

De uma perspectiva de otimização de mecanismos de pesquisa, os links demonstram a popularidade de um site. Essencialmente, toda vez que um site é vinculado a suas páginas, está dizendo que ele é digno de ser compartilhado com seus leitores. 

Quando os spiders dos mecanismos de busca encontram um site com muitos outros sites que apontam para ele, eles concluem que o site fornece informações de qualidade que devem ser recompensadas com classificações elevadas.

Existem características de backlinks que importam em algoritmos de rankings. Por exemplo, um backlink de um site de alta classificação contará mais de um de um site de baixa classificação. Um link de um site relevante em seu setor também terá mais peso.

Porém, como os mecanismos de pesquisa não podem avaliar manualmente a qualidade de cada site, eles contam com o número de backlinks apontando para um site e a qualidade relativa dos links para determinar o valor geral do site.

o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Como começar a criar backlinks para o seu site

Se você publicar conteúdo atraente, provavelmente já receberá links para seu site. Mas isso raramente é suficiente para tornar seu site competitivo nos resultados de pesquisa. Você deve ser proativo sobre o desenvolvimento de backlinks.

Tenha em mente os seguintes critérios:

  1. Os backlinks devem vir de sites relevantes que publicam conteúdo de qualidade.
  2. Eles não deveriam ser pagos. É uma estratégia de "black hat" que o Google não tolera. Seu site pode ser penalizado com essas ações no modo massivo. Esteja atento.
  3. Backlinks devem ser construídos lentamente. Se você os criar muito rapidamente, poderá parecer que está manipulando os rankings e acionando as penalidades dos mecanismos de busca.

Para encontrar sites que você pode segmentar para potenciais backlinks, primeiro veja quais sites vinculam a seus concorrentes. Após descobrir quais sites estão vinculados a seus concorrentes, visite esses sites para descobrir se seu conteúdo também é adequado.

Outra forma é acompanhar as oportunidades de links não reivindicados. Suponha que outro site tenha mencionado seu site como referência ou tenha citado um de seus artigos sem fornecer um link de atribuição adequado. 

Ao acompanhar seu nome de marca e outras palavras-chave de marca com um Alerta do Google, você pode monitorar essas oportunidades perdidas de backlink e entrar em contato com os proprietários do site para solicitar para eles incluírem suas páginas corretamente.

Outras oportunidades de backlink incluem:

  • Postagem de convidado: ofereça-se para escrever conteúdo para sites de outras pessoas. Isso pode ajudá-lo a ganhar exposição e backlinks extras. E melhor, fechar parcerias que valem a pena, em que as empresas se conversam pelos produtos ou serviços ofertados está entre uma das inúmeras estratégias de SEO. Não deixe as oportunidades passarem.
  • Comunicados de imprensa: se você tem algo interessante para compartilhar, um comunicado de imprensa on-line pode aumentar sua contagem de backlinks.
  • Rede Social: quando você participa ativamente de sites de redes sociais, você não apenas marca a si mesmo como um especialista, mas também pode adquirir vários backlinks.

Embora qualquer uma dessas estratégias de backlink possam ajudar seu site a subir nas classificações do mecanismo de pesquisa, você deve acompanhar os resultados para ver quais técnicas têm o maior impacto. Com o tempo, uma campanha consistente de criação de links deve gerar melhorias significativas em suas classificações de pesquisa e no tráfego do site.

Black Hat SEO

SEO Blackhat refere-se às pessoas ou técnicas que têm como objetivo enganar os robôs que fazem o rastreamento ou o próprio algoritmo do Google, responsáveis pela supervisão dos sites, sem a autorização do órgão, empresa ou pessoa responsável e, fazendo com que o site ganhe muito links e consequentemente, muitas posições em pouco tempo.

Esse objetivo pode ser a entrada em um sistema protegido, monetização por meios não autorizados ou o acesso às informações confidenciais. O Google procura oferecer aos usuários os resultados mais relevantes a busca por ele realizada.

Os sites relevantes aparecem bem melhor posicionados; avalia-se que o Google usa em torno de 200 vertentes para definir o posicionamento de um website. No SEO é um conjunto de técnicas para manipular as variáveis de mecanismos de busca, oferecendo um conteúdo diferente do normal.

Essas manobras são mal vistas pelo Google, justamente por fraudar as diretrizes de qualidade, que pune severamente os sites que praticam o SEO Blackhat para ganharem posições no ranking de busca.

Dica: Entre as punições que podem ocorrer aos sites estão a queda de ranking e a exclusão do site entre os resultados de pesquisa!

Como identificar práticas de SEO Blackhat

Para te ajudar a identificar SEO Blackhat, vamos listar algumas das principais técnicas empregadas por Black Hatters:

Keyword Stuffing: Repetição de forma exagerada de palavras-chave em determinada página do site (incluindo títulos, descrição, corpo do texto), resultando num conteúdo irrelevante e muitas vezes sem nexo, focado somente nos motores de busca e não ao usuário.

Keywords não relatadas no assunto: Essa tática visa enganar o usuário mostrando-o um conteúdo diferente do exibido no resultado da pesquisa.

Link Farms: Quando se cria um grande grupo de páginas, todas com links para o mesmo site e com o mesmo texto âncora, com o intuito de fazer com que esses aumentem sua relevância dentro dos buscadores.

Textos e Links Ocultos: É esconder links ou textos que são dispostos em cor idêntica a do fundo do site. Desse modo, o site ganha um maior número de keywords, ampliando as formas de ser localizado através dos sites de pesquisa.

Como você pôde observar, essas práticas não são feitas sem que haja a intenção de tirar vantagem dos robôs e dos algoritmos. 

Se você tem interesse em aumentar o número de referências externas ao seu site procure divulgar o seu site entre pessoas do seu nicho, trocar links. Se você é um prestador de serviços, fazer alguns trabalhos em troca de divulgação pode te render bons links e um melhor alcance de suas páginas.

Existem outras maneiras de conseguir links com práticas chamadas de SEO Whitehat (que falaremos um pouco mais a frente).

Quais são as punições para SEO Blackhat?

O Google condena essas práticas por conta de seu propósito de oferecer o resultado mais relevante à busca feita pelo usuário. Os robôs do Google não são bobos e não demoram muito a detectar as artimanhas utilizadas em um website. Ainda, outros usuários podem denunciar os sites que praticamos SEO Blackhat.

Tipos de punição Blackhat

Punição 30: É uma punição mais suave, o site passa a ser obrigatoriamente posicionado depois da terceira página de resultados apresentada pelo buscador.

Punição 50: Um caso de nível mais sério, o site fica após a página de número 5.

Punição 950: Já em uma situação grave, a página apenas será exibida entre as últimas posições entre os resultados apresentados.

Banimento Definitivo: Essa é a punição mais forte, na qual o site não é mais exibido entre os resultados do Google, mesmo caso se faça uma busca através do nome do site, não haverá resultado algum disponível.

Por mais importante que seja fazer link building, é necessário usar as táticas corretas para não sofrer punições e prejudicar o seu negócio na internet de maneira muito pior do que se não tivesse referência alguma. Atente-se às más práticas que eu mencionei nesse texto!

White Hat SEO

SEO Whitehat consiste em todas as práticas que estão de acordo com as diretrizes dos motores de busca. Os resultados de quem pratica o SEO Whitehat costumam ser a longo prazo, porém o risco de ser penalizado pelo Google e desaparecer dele é quase nulo.

Vantagens do White Hat SEO

  • É uma estratégia de longo prazo
  • Promove uma melhor experiência ao usuário
  • Não há riscos envolvidos

O SEO Whitehat não tem segredo, apenas se preocupe em produzir bons conteúdos originais e relevantes para seu website, atualize-o com frequência e divulgue nos nichos que você deseja atingir.

Definir Objetivos de Marketing Digital com SEO

Como qualquer outra campanha/ação de marketing, é importante definir metas e objetivos antes de começar o trabalho. Aliás, esse é o início do trabalho com marketing digital, definir objetivos. Sem isso bem desenhado, suas campanhas não terá nenhuma utilidade e nao será possível medir sua efetividade.

Definindo tais objetivos será possível determinar se está obtendo retorno de seu dinheiro, e como está performando seu trabalho de SEO.

Metas e Objetivos de SEO:

  • Tráfego do site: aumento nos acessos, impressões, sessões, usuários vindos de origem orgânica e direta;
  • Rank de termos estratégicos: definir quais são os termos estratégicos (que podem trazer receita e visitas para o site), acompanhar a evolução e melhoria no rank dos buscadores;
  • Otimização do site: como o foco do trabalho de SEO é qualificar as páginas, esse processo interfere na saúde do site, que deve estar com uma mota de otimização acima de 80%; 
  • Ultrapassar algum site: existe algum site que sempre aparece na sua frente? É possível acompanhar e comparar essa evolução no rank do buscador;

Definir Nicho no Mercado Digital

O nicho de mercado representa um segmento do público que possui perfil e interesses semelhantes. Ao definir um nicho para seu site/negócio, você determina o público para o qual irá falar, quais as estratégias que serão utilizadas para convencer essas pessoas a comprarem de você.

É essencial definir um nicho de mercado, pois dessa forma o negócio adquire um foco e assim, alinhar as condições necessárias para elaborar melhor as estratégias marketing digital.

Agora que você chegou até aqui, é provável que esteja se perguntando: onde eu me encaixo?

Vamos te ajudar nessa!

Em parte, o nicho é definido pelo produto ou serviço que está sendo comercializado. Por outro lado, o nicho pode ser definido pelo modelo de negócio ou pelo público-alvo, que é quem vai realmente comprar.

Fique atento a três pontos principais:

se há demanda pelo que você quer vender;

se você tem as habilidades e/ou capacidades de começar a agir;

se você tem vontade o suficiente (aqui falamos de inovar, pesquisar e estudar sobre seu mercado).

Ele pode ser amplo, como moda feminina, ou específico, como vestidos evangélicos para usar no trabalho, por exemplo.

Dicas de Como escolher um nicho de mercado:

1. Faça uma lista de temas que você domina

Exemplo, alguém pode ter interesse por cuidados com pets, mas não entender muito sobre o assunto para explicá-lo para terceiros.

2. Busque novas possibilidades

Essa dica indica palavras-chave que ainda não foram exploradas pela concorrência e constituem nichos nos quais vale a pena investir.

3. Oferta x procura

Fazer isso é bastante simples. Você pode utilizar uma ferramenta de palavras-chave para verificar a tendência e volumes de busca, por exemplo.

‘Uma das melhores ferramentas para verificar a demanda por um nicho é a Google Keyword Planner.’

4. Manter o foco em um público específico

Se você ainda não sabe qual parcela do mercado pretende atingir, fica impossível divulgar seu produto, a não ser que você queira perder muito dinheiro. Acho que não, certo?!

5. Realize testes e mais testes

Agora que você já escolheu o nicho no qual quer trabalhar, está na hora de testar se sua ideia tem potencial para conquistar o mercado.

Existem algumas formas de fazer isso. Sintetizando, você pode oferecer essa versão para teste, uma demonstração do seu serviço, deixar disponível e sem custo um módulo de seu curso online, testar criativos diferentes para o mesmo público (e novos públicos), mas lembre-se de sempre observar como sua audiência reage a estes conteúdos. Enfim, use a criatividade!

Ferramentas Básicas e Completas de SEO e Marketing

As Ferramentas de marketing foram criadas para automatizar tarefas, acelerar rotinas, extrair informações de grandes volumes de dados, entre outras tarefas. Resumindo, essas ferramentas foram criadas para facilitar a tomada de decisão dos responsáveis. Seja o responsável por uma campanha específica, ou pelo negócio como um todo.

Na última década com o crescimento do modelo SAAS (Software as a service), foi possível ter acesso a uma série de excelentes ferramentas de marketing digital a custos mais acessíveis.

Por que os profissionais e empreendedores de Marketing precisam de uma Ferramenta de SEO Completa?

O SEO não funciona sozinho. Toda empresa, grande ou pequena, que possui um site e o utiliza para obter clientes, precisa de ajuda profissional de SEO. Já que o Google é guardião de 75% de todo o tráfego de pesquisa orgânica global da Internet.

Fato é que as empresas B2B e B2C geram duas vezes mais receita com pesquisa orgânica do que qualquer outro canal. Isso acontece porque os resultados de pesquisa do Google são considerados mais confiáveis do que anúncios patrocinados ou resultados de mídia social.

O Google é uma marca confiável, já que seu interesse é garantir que você encontra exatamente o que está procurando. E é nesse aspecto que SEO auxilia, afinal, se trata de um conjunto de técnicas que visam qualificar as páginas do site.

Trabalhar com marketing digital é algo complexo e que requer a integração de diversas áreas da empresa (como TI, marketing e vendas, por exemplo).

Usar uma plataforma de software SEO corporativa irá proporcionar o controle de erros e melhorias, ao mesmo tempo que reduz o tempo de analises e correção de problemas. Uma ferramenta de SEO all in one simplifica todo trabalho de manter seu site atualizado, e de acordo com as melhores práticas exigidas pelo buscador.

o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak
quem não tem cão, caça com gato (?)

Como uma Ferramenta de SEO aumenta a produtividade da equipe?

Imagine o tamanho do site de uma empresa, seja de qualquer mercado ou tamanho, eles deve conter uma grande quantidade páginas, que precisam ser otimizadas, sejam milhares ou centenas de milhares de URLs.

Um trabalho danado!

SEO é uma habilidade técnica, mas também é uma arte. Uma solução de SEO all in one não é apenas sobre a tecnologia, mas também os serviços adicionais e facilidades que sua equipe pode acessar para alcançar os objetivos.

Além de tudo isso, a otimização de um site não é um trabalho realizado apenas uma vez, essa tarefa deve se tornar parte integrante do fluxo de trabalho de marketing, acompanhando as mudanças do consumidor, as atualizações do algoritmo do mecanismo de pesquisa e surgimento de novas tecnologias.

Google Analytics

Podemos dizer que o Google Analytics é a ferramenta mais utilizadas pelos profissionais que acompanham os resultados dos seus sites e de campanhas digitais.

O uso da plataforma é simples e entrega dados bem completos sobre seu negócio online. As informações como visitas, novos usuários e tempo de permanência na página são somente umas das inúmeras que o programa proporciona.

Como instalar o Google Analytics

Sei que já entrei com uma boa introdução acerca do que é o Google Analytics, porém, o início mesmo para começar a analisar e medir as interações dos usuários em seu site, é instalar o código de acompanhamento em todas as páginas do seu domínio.

Para dar o pontapé na configuração inicial do Google Analytics recomendo que você utilize algum tutorial ou instruções detalhadas sobre sobre como implementar o código, levando em conta seu grau de conhecimento, plataforma ou linguagem utilizada na programação do seu site.

Independentemente dos casos, assim como da alternativa escolhida, você vai precisar ter uma Conta ativa no GA (Google Analytics), uma Propriedade configurada e obter o Código de Acompanhamento do Google Analytics, que chamamos de UA.

Métricas e Dimensões no Google Analytics

O que são Métricas?

Basicamente métrica se trata de um número. Parece muito simples, e pode até ser, mas quero dizer que há um conceito mais definido. Métricas são sistemas de mensuração que irão quantificar uma tendência, comportamento de consumo, fazendo com que ocorra a mensuração de um negócio, uma ação de marketing, uma campanha e qualquer objetivo.

As Métricas são divididas em 2 tipos, CONT e RATIO, que são:

COUNT - Essas Métricas COUNT tratam-se de métricas de contagem, que envolvem números e exibem valores absolutas delas. São exemplos de Métricas COUNT: Sessões, Pageview, Usuários, Transações, Quantidade de produtos entre outros.

RATIO - As Métricas RATIO tratam-se de métricas de porcentagem, indicam em share e em cálculos o valor daquela métrica, geralmente vem acompanhadas pelo termo “taxa”. Os exemplos de métricas RATIO são: Taxa de Conversão, Taxa de rejeição, Duração Média da Sessão entre outros.

Há uma maneira bem simples de encontrar e identificar uma métrica no Google Analytics, podem ser. No GA eles vem sempre em colunas como a que está abaixo:

Métricas Google Analytics - o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Principais Métricas

Visitantes, Sessões e Hits

As dúvidas mais comuns de qualquer proprietário de um site estão em torno da necessidade de compreender quantas pessoas visitaram o site em determinado período. Assim como, muitas dúvidas surgem em entender como o Google Analytics mensura as interações dos usuários, e este é primeiro passo para criar qualquer tipo de relatório.

Visitantes

A definição de visitante não é difícil de entender, pois o próximo nome já informa que é  literalmente a um usuário que acessa o seu site.

O ponto central está no fato de que um  Visitante pode visitar o seu site inúmeras vezes dentro de um período, iniciar sua navegação por meio de diferentes canais (pesquisando no Google ou por redes sociais), navegar por diferentes páginas e gastar mais ou menos tempo a cada uma das interações.

Hits

Nunca se esqueça: toda e qualquer interação de um Visitante com um site começa com um hit. Sempre que um Visitante irá acessar alguma página com o Código de Acompanhamento instalado, e desse modo um novo hit é recebido pelo Google Analytics.

Este Hit carrega, dentre várias outras informações:

  • IP;
  • data e hora do hit;
  • versão do navegador;
  • nome da página e URL.

O conjunto de dados enviados por um mesmo Visitante, são reunidos nos servidores do Google e agrupados em Sessões.

Sessão

Uma determinada sessão pode ser compreendida como um conjunto de hits que são gerados por um visitante ao navegar.

Quando o primeiro hit é gerado em uma página de destino, uma nova Sessão irá se iniciar. E só acaba quando:

  • O visitante passa 30 minutos sem fazer nenhuma interação (nenhum novo hit);
  • Quando passa de meia-noite;
  • O usuário clique em alguma UTM (vamos explicar melhor a seguir);
  • O usuário navega entre diferentes subdomínios dentro de um mesmo site.

Dica Importante: Ao acessar uma página sem atualizá-lo ou sem ativar nenhum evento, o usuário Analytics não recebe nenhum novo hit. Se nenhuma nova informação é enviada, o Google Analytics não consegue medir o tempo que o usuário passou ali. Desse modo, após 30 minutos de inatividade, o Analytics vai entender que ocorreu uma rejeição.

Bom, agora você está por dentro do que são métricas, seus tipos e como conseguir identificá-las no Google Analytics (GA). Agora quero te mostrar o que são dimensões.

O que são dimensões?

A dimensão trata-se de um atributo típico dos visitantes do seu site. Em resumo, as dimensões são as informações que seus visitantes passam para sua ferramenta de Google Analytics.

Isso significa que todas as informações que tal visitante passou são dimensões. É comum que as dimensões venham em uma linha, conforme no exemplo abaixo:

Dimensoes Google Analytics - o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Bom, agora que você já tem entendimento do que são as Métricas e Dimensões no Google Analytics, fica muito fácil entender e montar seus relatórios. 

Google Search Console para SEO

Sem dúvidas a Webmaster tools da Search Console são ferramentas de análise e acompanhamento de usuários essencial para todo e qualquer site. Entenda por que toda empresa que possui um site deve utilizar essa ferramenta, para encontrar problemas e diversas informações vitais para o negócio online.

Sua utilização diária e com frequência não irá consertar suas páginas, mas te dará uma excelente direção dos passos a serem tomados.

Para que serve Webmaster tools

O Google Search Console também é conhecido como Google Webmaster Tools, são as mesmas funções de análise de comportamento dentro do site.

Google Search Console é uma ferramenta que permite compreender como o Google vê o seu site para fazer as otimizações necessárias.

A ferramenta surgiu em junho de 2005 com o objetivo de manter o Google “informado” das novas páginas criadas.  

Hoje o Search Console abrange diversas funcionalidades quanto a análises de cada site, dando um parecer detalhado sobre a indexação da página no Google.

Como configurar Webmaster tools

1.    É necessário criar uma conta. Se tiver uma conta no Gmail, basta confirmar o usuário. Caso não tenha clique aqui.

2.    Assim que entrar na página inicial clique no botão vermelho “Add a site” e adicione seu URL.

3.    Na página seguinte clique na aba “Alternate methods” e selecione “HTML tag”.

4.    Em seguida o Google irá fornecer um código HTML para que você cole na home page do seu site.

5.    Depois que colar o código na página e salvar as alterações, aguarde alguns instantes e retorne para o Search Console. Clique no botão “Verify”.

6.    Agora é só colocar a mão na massa!

Quais as principais ferramentas do Google Search Console

Aparência de pesquisa (Search Appearance)

Na área Search Appearance, é possível analisar as otimizações que você pode realizar para melhorar a aparência da sua página quando aparecer nos resultados de busca do Google, uma vez que a ferramenta faz a leitura de títulos, descrições, imagens, etc.

Tráfego de pesquisa (Search Traffic)

Esta ferramenta é útil para mostrar o que as pessoas estão procurando no campo de busca. O relatório consegue apresentar o tráfego orgânico para a sua página, e tirar insights de possíveis otimizações.

No relatório você consegue ver todos os dados apresentados como:

1.    Palavras-chave do seu site que apareceram nos resultados de busca;

2.    Páginas do seu site que foram referenciadas;

3.    Países que acessaram seu site;

4.    Quais foram os acessos em aparelhos móveis e desktop;

5.    Identifica quais foram as pesquisas para web ou imagem;

6.    Análise por datas;

7.    Quantidade de cliques;

8.    Quantas visualizações o link teve para o seu site;

9. CTR (click-through-rate);

10. Posição média do seu site nos resultados de busca.

Índice do Google (Google Index)

O Google Index mostra as páginas indexadas pelo Google, como está o desempenho do site, e a identificação de palavras-chave. Assim como as páginas que foram bloqueadas e as que foram removidas.

Sempre fique atento as seguintes colocações:

1.    Mudanças que demonstram problemas de segurança;

2.    Quedas inesperadas, pois indicam servidor sobrecarregado ou dificuldade de acesso ao seu conteúdo;

3.    Volume de índices altos, indicando conteúdos duplicados;

4.    Aumento de páginas indexadas, uma vez que o Google passe a rastreá-las.

Rastreamento (Crawl)

Nesta parte, é possível observar como o Google rastreia seu site para indexar, e quais os problemas encontrados. 

Se existem dificuldades para os robôs vasculharem as páginas do seu site na busca de conteúdos relevantes, você conseguirá identificar.

Problemas de segurança

Se o seu site tiver sido invadido ou infectado, você ficará sabendo nessa área. É possível impedir que esses acidentes aconteçam seguindo as próprias orientações do Google.

Quando o problema for detectado o indicado é analisar o código e solicitar revisão. Depois que for corrigido basta solicitar um pedido de reconsideração, para que o Google possa analisar novamente o site.

Outros recursos (Other Resources)

Aqui você terá acesso a funcionalidades adicionais do Google. Tais como:

1.    Academia de webmaster;

2.    Pesquisa personalizada;

3.    Domínios do Google;

4.    PageSpeed Insights;

5.    Google Meu Negócio;

6.    Google Merchant Center;

7.    Assistente de marcação de dados estruturados;

8.    Ferramenta de teste de dados estruturados;

9.    Markup Tester para email.

[Dica] Controle a velocidade de indexação do site

Após a realização de modificações relevantes para melhorar seu SEO on-page é possível tornar mais rápida a indexação dessas mudanças acessando dentro de sua Webmaster Tools: 

Configurações > Taxa de rastreamento > Limitar a taxa máxima de rastreamento do Google. Arraste a barra para direita (deixe em 'velocidade alta') e clique em Salvar.

Vantagens da Webmaster tools Google Search Console

Definitivamente é uma das plataformas mais fáceis de se trabalhar, embora às vezes exige um pouco mais de dedicação para compreendê-la. Contudo o Google Search Console é perfeito para ajudar na otimização do seu site.

O Google Search Console será um grande aliado para melhorar o posicionamento do seu site nos mecanismos de busca, sem a necessidade de um serviço técnico profissional.

Existem excelentes ferramentas disponibilizadas pelos buscadores que ajudam em todo o monitoramento, e detecção de melhorias para SEO. E não é só o Google.

Bing WebMaster

O Bing Webmaster Tools oferece, por uma quantia justa, dados para os webmasters usarem e resolverem problemas potenciais de SEO, além de servir como o principal mecanismo para comunicar essas questões aos proprietários do site. 

Sabia que 1 a cada 5 pessoas que fazem buscas na internet, utilizam o Bing? Apesar de não ser muito explorado, o buscador Bing acaba atingindo uma gama bem específica de usuários e, com grandes chances de conversão.

É importante lembrar que os fatores de qualidade das páginas de destino valem para todos os buscadores!

O Bing está crescendo anos após ano. Isso pode significar um bom aumento no número das visitas que você recebe. ;)

Para aqueles que ainda não estão familiarizados, este artigo irá orientá-lo e ajudá-lo a melhorar aproveitamento das ferramentas disponibilizadas.

Como usar o Bing Webmaster: Um guia rápido para iniciantes

1. Acesse o site http://www.bing.com/toolbox/webmaster  e registre-se com uma conta da Microsoft (@live.com)

2. Registre e verifique o domínio do seu website.

3. Envie o sitemap que você criou ao selecionar “sitemaps” em “Configure meu site”.

4. Uma vez verificado o website, você pode navegar através dos diferentes relatórios.

SE VOCÊ NÃO SABE O QUE PROCURAR, PODE ACABAR PERDIDO ENTRE OS DADOS E RELATÓRIOS. EIS AS  FERRAMENTAS DE RELATÓRIOS ESSENCIAIS DO BING WEBMASTER:

1. Cadastre-se para receber notificações no seu e-mail: Clique em “Perfil” no menu superior direito  Contato  Preferências de alerta.

2. Crawler e acesso de erros: Veja o relatório selecionando “informações de rastreamento” em “relatórios e dados”.

3. Bingbot: Selecione “Bingbot” em “Diagnósticos e Ferramentas”.

4. Palavras-chave: Você pode ver o relatório de busca de palavras-chave, status dos índices e Inbound Links em “Relatórios e Dados”.

APÓS ESSA BREVE INTRODUÇÃO, QUE TAL IR UM POUQUINHO MAIS AFUNDO NAS FERRAMENTAS QUE O BING WEBMASTER OFERECE?

1. Adicionando um site: O primeiro passo é fazer login no Bing Webmaster. Em seguida, digite a URL de sua página inicial e clique no botão “adicionar”. Isso o levará a uma tela onde você deverá colocar a URL correspondente ao mapa do site e algumas informações básicas. Após clicar em “adicionar”, você será levado à página do painel, onde encontrará uma miniatura da homepage e uma nota informando que você precisa verificar o site. Para fazê-lo clique em “verificar agora”.

2. Verificação: O Bing Webmaster oferece vários métodos de verificação.

- Verificação de Arquivo XML: Com esta opção você vai baixar um arquivo chamado "BingSiteAuth.xml", que terá automaticamente uma entrada com senha para a sua conta. Este arquivo terá de ser colocado no diretório-raiz do seu site. Uma vez lá, clique em “verificar” na parte inferior da página.

- Verificação Meta Tag: Com esta opção, você terá uma linha de código e deverá colocá-la na seção “página inicial” do seu site. Assim que estiver lá, clique em “verificar” na parte inferior da página.

- Verificação DNS: Opção mais técnica do que as anteriores. Nela você precisará adicionar um registro CNAME com o nome fornecido ao verify.bing.com. Após adicionar, clique em “verificar” na parte inferior da página.

3. Dashboard ou Painel de Controle: Ao clicar no seu site, você é redirecionado para o painel. Lá é possível ver dados que mostram as tendências ao longo do último mês - cliques, impressões, páginas rastreadas, erros de rastreamento e páginas indexadas. Você verá algumas informações básicas presentes no seu sitemaps, as melhores palavras-chave e principais páginas relacionadas.

4. Ignorar os parâmetros de URL: Aqui você tem a possibilidade de instruir o rastreador Bing (Bingbot) a ignorar parâmetros de URL que não têm impacto sobre o conteúdo da página; isto é, preocupar-se com o conteúdo duplicado (diferentes URLs, mesmo conteúdo), instruindo os indexadores para ignorar certos parâmetros, reduzindo o potencial de conteúdo duplicado.

5. Controle de Crawl: O Bing Webmaster permite personalizar o seu padrão de Crawl. Você pode optar pelas configurações padrões ou especificar.

6. Deep links: Eles dão mais visibilidade à sua página nos resultados de pesquisa, fornecendo opções adicionais de conteúdo para os usuários clicarem. Estas opções se baseiam no que o Bing julgar ser mais importante ou relevante para os usuários.

7. Bloquear URLs: Se você precisar remover uma página ou um diretório do índice do Bing, simplesmente selecione-a (o), digite a URL e clique em um dos botões do bloco, dependendo se você está bloqueando apenas o cache ou completamente. O Bing não exige que você tenha removido ou redirecionado o conteúdo original.

8. Visualização de página: Com este recurso você pode bloquear a visualização de uma página ou solicitar uma atualização da mesma. Isso é especialmente útil quando você já indexou o conteúdo, mas precisa removê-lo o mais rápido possível por questões legais ou outros. Vale lembrar que pode levar até 24 horas para a remoção de pré-visualização/atualização da realmente acontecer.

9. Segmentação geográfica: Permite que você defina informações de segmentação geográfica para o seu site inteiro, subdomínio, diretório ou página individual. O Bing Webmaster usar esses dados para filtrar como o seu site será exibido nos resultados de pesquisa nos motores de busca.

10. Páginas Interconectadas: Se o seu site tem páginas em redes sociais você pode conectá-los à sua conta do Bing Webmasters. Basta digitar as URLs apropriadas para as páginas que deseja incluir e apertar o botão “verificar”. Depois de adicioná-las, você pode monitorar o tráfego que essas páginas estão gerando para o seu site.

11. Tráfego: É possível acompanhar as estatísticas de tráfego das suas páginas e identificar as áreas com melhor desempenho no site. É possível ver os cliques, as impressões, CTR, posição média quando o clique foi recebido etc.

12. Relatório de dados: Aqui são apresentadas dicas para melhorar seu site, repartido em 3 principais funcionalidades:

Relatórios e Dados / Relatórios SEO: Na primeira página é possível ver uma lista com o resumo dos problemas encontrados, sua intensidade (grave ou não), o número de ocorrência de erros e o número de páginas onde ele ocorreu.

Clique em um item da lista, serão exibidas informações detalhadas, dicas sobre como resolver o problema e uma lista das páginas onde ele está acontecendo. 

Relatórios e Dados / Links de Entrada: Este relatório mostra o número de links externos que apontam seu site.Esse relatório apresenta a evolução das referências (links) ao longo do tempo e também, página a página.

Google Tag Manager

O Google Tag Manager é uma ferramenta gratuita do Google em que foi apresentada ao público no ano de 2012 para solucionar o problema daqueles que desejam ter autonomia no processo de inserir, retirar e editar tags sem a necessidade de acessar o código-fonte.

Tags nada mais são que snippets de código utilizados para coletar informações de um website e encaminhá-las para terceiros. Essas tags possuem inúmeras funcionalidades, incluindo formulários de monitoramento, acompanhamento dos visitantes de um site, geração de mapas de calor e muito mais.

Com o Google Tag Manager seu dia-a-dia será ainda mais produtivo, pois você mesmo poderá realizar inserções de tags sem o auxílio de um desenvolvedor Web em que está atarefado com projetos de maior prioridade.

Se você precisar inserir uma tag em que não tenha um modelo no GTM, você poderá adicionar seu próprio código personalizado.

Algumas das Vantagens do Google Tag Manager:

  1. Otimização no Tempo de Carregamento das Páginas: A inserção de uma grande quantidade de scripts dentro de um site acaba também interferindo em seu tempo de carregamento. Com o Google Tag Manager, você conseguirá realizar o disparo delas de maneira assíncrona por padrão e unificar todos os scripts, otimizando assim o tempo de carregamento.
  2. Pode ser utilizado para sites de AMP: O Google Tag Manager é ideal para gerenciar aplicativos e tags de sites de AMP, permitindo assim com que você adicione e edite tags sem a necessidade de uma versão atualizada do aplicativo.
  3. A praticidade do Google Tag Manager: Há alguns anos atrás, era necessário inserir diversas tags diretamente no código de um website para que as mesmas pudessem funcionar corretamente em todas as páginas ou então em uma página em específico. Com o Google Tag Manager, você conseguirá  manipular suas tags em um ambiente totalmente visual e de fácil manuseio
  4. Excelente desempenho em tags de terceiros: Por ser próprio do Google, o popularmente conhecido GTM não fica restrito apenas aos serviços oferecidos pelo Google, podendo ser utilizado também para gerenciar tags de terceiros, como códigos de retargeting do Facebook Ads, Hotjar, Twitter, Kissmetrics e muitos outros.
  5. Maior efetividade na coleta de dados do Google Analytics: A instalação do Google Analytics através do GTM é a funcionalidade mais utilizada pelos usuários. Essa atividade fará com que as métricas do GA sejam aprimoradas.

Essas são apenas algumas das diversas funcionalidades apresentadas pelo Google Tag Manager. Após essa introdução, já sabemos um pouco sobre o Google Tag Manager e como ele poderá trazer vantagens ao website ou aplicativo. Agora, vamos mostrar à você como criar uma conta nessa poderosa ferramenta:

Como criar uma conta no Google Tag Manager:

Por ser uma ferramenta gratuita, criar uma conta no Google Tag Manager acaba sendo uma tarefa muito fácil, então vamos lá!

Primeiramente, acesse a página do Google Tag Manager e clique em ‘Inscreva-se Agora’, botão em que está localizado no canto esquerdo de sua tela:

O que é Google Tag Manager?- o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Dica: É altamente recomendável com que você utilize o mesmo e-mail Google em que sua conta no Google Analytics foi criado para melhor controle das informações.

Após realizar o login com sua conta Google, você deverá preencher o nome de sua empresa e seu país.

O que é Google Tag Manager? - o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

A opção Compartilhar dados de forma anônima com o Google e outros é ideal para aqueles que desejam ativar o comparativo de mercado compartilhando dados em um formulário anônimo. O Google, por si, próprio irá remover todas as informações em que as pessoas poderão identificar seu website e fará uma combinação dos dados com centenas de outros sites anônimos, informando a você as tendências agregadas no serviço de comparativo.

Essa opção não é obrigatória, sendo assim, cabe à você proprietário da conta informar se deseja ou não receber tais informações.

Em seguida, clique em CONTINUAR.

O segundo passo será configurar o contêiner e especificar onde você deseja usá-lo, se é em um site da Web, APP iOS, APP Android ou em site AMP.

O que é Google Tag Manager? - o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Após ler e concordar com os Contrato de Termos de Serviço do Gerenciador de tags do Google e Termos de Processamento de Dados, exigidos pelo GDPR, clique em SIM.

Em seguida, você será direcionado para o código que deverá ser instalado em todas as páginas que você desejar. O primeiro código deverá ser inserido o mais alto possível na tag <head> da página, já o segundo, após a tag de abertura <body>.

Após realizar a inserção dos códigos, clique em OK.

Antes de colocarmos a mão na massa sobre adicionar as tags de seu website para o Google Tag Manager, faremos uma breve explicação sobre os pilares do Google Tag Manager, que são: Tags, Triggers e Variáveis

Tags: Nada mais são que os scrips em que serão incluídos via Tag Manager, como por exemplo: Tag de Acompanhamento de conversões do Google AdWords, Tag de Remarketing, Informações sobre o LinkedIn e diversas outras.

Triggers: Através do trigger você conseguirá determinar quando a tag será acionada. Esse acionamento poderá ser executado através do envio de um formulário, um clique, do carregamento de uma página e diversas outras formas.

Variáveis: Variáveis são informações adicionais que permitem que tags e acionadores façam mais coisas, pois adicionam fatores extra às ações realizadas pelo Google Tag Manager.

O Google Tag Manager apresenta uma série de integrações em que você conseguirá realizar sua manipulação através de seu próprio painel. Porém, há algumas alterações dentro de suas páginas em que você não conseguirá desenvolver através da ferramenta. 

PageSpeed - Velocidade do Site

O tempo de carregamento de uma página é, obviamente, uma parte importante da experiência do usuário em qualquer site. Muitas vezes esse importante item de SEO é deixado de lado para acomodar um design mais bonito, uma nova funcionalidade bacana ou para adicionar mais conteúdo a páginas da web.

Infelizmente, os visitantes do site tendem a se preocupar mais com a velocidade do que todas as features que queremos adicionar aos nossos sites. Além disso, o tempo de carregamento da página está se tornando um fator mais importante quando se trata de ranqueamento nos motores de pesquisa.

Por causa disso o PAGESPEED INSIGHTS DO GOOGLE se torna indispensável para agências hoje. Entenda mais sobre esse poderoso recurso as principais razões ele precisa ser usado pela sua agência hoje.

As pessoas gostam de sites rápidos!

E os motores de busca também. Na verdade, o Google gosta tanto de sites rápidos que está se preparando agora está determinado a concentrar-se em sites bem ranqueados com base na sua experiência móvel e o tempo está correndo sobre as empresas para realmente se concentrarem em entregar os sites mais rápido tanto para desktop quanto mobile.

O PAGESPEED INSIGHTS DO GOOGLE é importante porque uma boa parcela da população, 58% da população brasileira de acordo com a Agência Brasil, tem acessa a internet, sendo 89% exclusivamente pelo smartphone, e, por isso, ter um site rápido é indispensável.

As principais razões pelas quais o PAGESPEED INSIGHTS são indispensáveis são:

Garante uma experiência melhor em dispositivos móveis

Um site mais rápido melhora os níveis de satisfação dos visitantes e o número de conversões, por exemplo. Como dito anteriormente a quantidade de acessos via celular é maior.

É fundamental em termos de uso 

O Google usa uma infinidade de fatores para determinar como classificar os resultados dos mecanismos de pesquisa. Tipicamente, esses fatores estão relacionados com o conteúdo de uma página da web em si - o texto, sua URL, os títulos e cabeçalhos, etc. - ou medições da autenticidade do próprio site, como idade do nome do domínio, número de acessos e qualidade do site, inbound links, etc.

A velocidade do site reflete a rapidez com que um site responde as requisições da Web, e é importante - não apenas para proprietários de sites, mas para todos os usuários da Internet. Isso porque as pessoas hoje em dia demoram apenas alguns segundos para decidir se ficam ou não em um determinado site e, por isso, ter um site que demora para carregar em dispositivos móveis é praticamente inaceitável.

Facilita muito a análise e correção de pontos críticos de desempenho 

Priorizar quais correções precisam ser feitas para corrigir velocidade de página - o que acontece é que não há apenas um único tipo de priorização. Há também a questão do que realmente precisa ser carregado. 

O PAGESPEED INSIGHTS DO GOOGLE tenta descobrir se você está priorizando o conteúdo, afinal este é um grande alvo. Também não é uma avaliação perfeita. Para facilitar ainda mais os pontos críticos de desempenho, ele usa um sistema de "scoring", pontuação em português, que permite ter uma visão mais clara do quanto precisa ser melhorado.

É uma ferramenta intuitiva e simples para desenvolvedores

Um site rápido é uma boa experiência de usuário (UX), e um UX satisfatório leva a conversões mais elevadas, e agora que o Google está sendo tão agressivo nesses pontos, a ferramenta auxilia qual caminho os webmasters devem seguir.

Além de analisar, o PageSpeed Insights também faz sugestões detalhadas de melhoramento 

Se você tem um super servidor e ainda assim seu site leva dezenas de segundos para carregar é uma experiência de usuário ruim e seu site provavelmente não está fazendo seu negócio online bom. Usando o PAGESPEED INSIGHTS DO GOOGLE, você consegue descobrir quais pontos precisam ser melhorados e ainda recebe sugestões da própria ferramenta sobre quais pontos precisam ser melhorados. Assim você não fica procurando o que precisa ser demorado e ainda aproveita para saber se o seu servidor é mesmo tudo aquilo que ele diz ser.

Sites mais rápidos criam usuários felizes e melhoram a experiência do usuário. Assim como nós, os usuários colocam muito valor em velocidade, e é por isso que é preciso levar em conta a velocidade do site em todos os rankings de pesquisa.

Existem excelentes ferramentas disponibilizadas pelos buscadores que ajudam em todo o monitoramento, e detecção de melhorias para SEO. E não é só o Google.

Pesquisa de Palavras Chave, o que é e como funciona

Aqui é onde a mão na massa começa. Essa é a etapa que pode determinar o sucesso e também, o fracasso de seu site.

Importante ressaltar que o Google não fornece palavras-chave referentes a um site a partir de pesquisa orgânica, como fazem para pesquisa paga (Ads), o que dificulta os relatórios, pois dessa forma especialistas em análise de dados precisam costurar dados do Google Search Console e de outras ferramentas do Analytics para concluir a pesquisa.

Então para facilitar a identificação dos melhores termos a serem trabalhados, foram criadas ferramentas de palavras-chave que irão fornecer informações como: volume de buscas, competitividade do termo, tendências de pesquisa, e se ela for mais completa (como a WebPeak), a ferramenta de palavra-chave também mostra um coeficiente de indexação. ou seja, quanto maior esse número, melhores são as chances de rankeamento.

Mas antes: O que são palavras-chave?

Palavra-chave ou keyword, é o principal elemento de uma pesquisa, elas revelam a intenção do consumidor. Essa palavra-chave é um termo de pesquisa composto por uma ou mais palavras. E não é por acaso que as palavras-chave são as queridinhas dos profissionais de marketing. Chegam até a ser uma obsessão para profissionais de SEO.

Muitas empresas investem em palavras que têm pouco volume de busca, ou alta competitividade, ou que são irrelevantes para o seu consumidor (não tem interesse). Dessa forma, jogam tempo e dinheiro fora.

Então pensando em facilitar, vamos listar os tipos de palavras-chave e te mostrar como encontrar as melhores!

Tipos de palavras chave

Palavras-chave do tipo ‘Short Tail’ ou ‘Head Tail’

Esse tipo de palavras-chave é amplo, geralmente descreve algo genérico. Podem ser utilizados para a criação de uma categoria ou página institucional, por exemplo.

Exemplo: Camisetas; Marketing; Serviços;

Palavras-chave do tipo ‘Middle Tail’

Esse tipo de palavras-chave está entre uma pesquisa mais genérica e algo mais específico, seria um termo intermediário. Pode ser utilizado para uma subcategoria, por exemplo.

Exemplo: Camisetas Femininas; SEO para E-commerce; Campeonato de Xadrez;

Palavras-chave do tipo ‘Long Tail’

Esse tipo de palavras-chave é mais específico, bem objetivo. Costumamos dizer que o usuário que faz esse tipo de pesquisa sabe o que quer, ou está bem direcionado a conclusão de adquirir algo, ou preencher um formulário, por exemplo. Pode ser utilizado para criação de páginas, pautas, posts, por exemplo.

Exemplo: Como fazer SEO para E-commerce; Camiseta Feminina de Algodão manga curta; Serviços de desentupidora em Pinheiros SP;

Tipos de Busca

  1. Direta ou Navegacional

Esse tipo de pesquisa é realizada quando o usuário já conhece qual site gostaria de ir, mas talvez não se lembre da URL ou esteja com preguiça de digitar.

Exemplo de buscas: blog da WebPeak ou Ferramenta de SEO WebPeak.

As intenções dessa busca são claras, então é improvável que o usuário mude de destino. 


  1. Informacional

Esse tipo de busca é realizada por quem está a procura de informações. Pode ser por meio de notícias, blogs, releases de algum produto, videos tutoriais ou artigos explicativos.

Nesse caso, o usuário nao sabe o que irá encontrar, pois está procurando se informar sobre o assuntos pesquisado.

Exemplo de buscas: qual a melhor ferramenta de SEO ou Como fazer SEO para E-commerce.

Esse tipo de busca mostra o quão importante é uma empresa estar bem posicionada no buscador.


  1. Com intenção de compra/Transacional

Essa é a busca que irá trazer receita para seu negócio, uma vez que usuário está buscando realizar uma compra ou um orçamento.

A busca é realizada com o intuito de comprar um produto específico, encontrar uma loja com muitas opções, ou fazer qualquer outro tipo de transação online como cursos ead.

Exemplo de buscas: comprar camiseta oficial do Brasil ou comprar curso de SEO.

Esse tipo de pesquisa é extremamente valiosa, especialmente para e-commerces.


  1. Local ou Regional

Esse tipo de busca é mais direcionado para negócios locais e muitas vezes com ponto físico ou um estoque local.

Exemplo de buscas: smartphone huawei em SP ou eletrônicos a pronta entrega em MG

Essa busca pode ser aproveitada para rankear negócios locais como contabilidades, mercados, lojas, consultórios, escolas, entre outros.


  1. Comparativo

Essa busca é utilizada para a tomada de decisão. Geralmente esses resultados possuem conteúdos com tabelas ou algum comparador de vantagens, funcionalidades, preço, características, tempo de mercado, entre outros.

Exemplo de buscas: WebPeak x semrush ou qual a melhor ferramenta de SEO

Esse tipo de busca pode se enquadrar junto com a busca informativa também.


  1. Imagens

Essa busca é utilizada para conhecer o visual de um produto, ou uma pessoa usando determinado look. Também pode ser utilizado para conhecer empresas e suas ações.

Exemplo de buscas: modelo usando óculos de sol Dior Homme ou logo da WebPeak

Esse tipo de busca pode ser aproveitado como mais uma fonte de tráfego, afinal, o SEO também cuida da qualidade e relevância de suas imagens.


  1. Vídeos

Caso você ainda não saiba, o Youtube é o segundo buscador mais utilizado no mundo. Nesse repositório de videos os usuarios encontram muita informação e, muitas vezes preferem esse tipo de conteúdo por ser algo mais dinâmico e ilustrado.

Exemplo de buscas: como fazer bolo de leite em pó ou tutorial de SEO para Loja virtual

Você precisa aproveitar essa fonte de potenciais clientes, mas lembre-se sempre de adaptar seu conteúdo para esses diferentes canais.


  1. Notícias

Essa tipo de busca é bastante tendencioso, visto que as pessoas se interessam pelo assunto que apresenta um ‘boom’ de buscas e em seguida, acontece uma queda brusca nesse interesse.

Exemplo de buscas: cientistas brasileiras sequenciam coronavírus

Nesse caso, o SEO não apresenta efeito por muito tempo, já que o público não tem interesse linear para esse tema.


  1. Empregos

Mesmo que os sites específicos tenham as vagas, toda busca se inicia pelo buscador. Nos resultados do Google, o usuário encontra as páginas específicas da vaga que está procurando, e depois parte para uma busca dentro dos sites de vagas.

Exemplo de buscas: vaga analista de marketing ou trabalhar com redes sociais

Essa busca é importante para empresas recrutadoras que não podem deixar o SEO de lado. Justamente por isso que as ferramentas para encontrar os melhores termos são verdadeiras aliadas de um negócio de sucesso.

Ferramentas de palavras-chave

A maioria dos profissionais cometem erros quando se trata de pesquisa de pesquisa de palavras-chave. Confira a lista de erros comuns que você tem que evitar:

  • Realizar pesquisa de palavras-chave somente uma vez;
  • Não se preocupar em atualizar e expandir sua lista de palavras-chave;
  • Segmentação de palavras-chave que são muito populares, o que significa que são muito competitivas.

Em resumo, pesquisa de palavras-chave de SEO deve ser uma parte contínua e em constante evolução do seu trabalho como um empreendedor na internet.

Palavras-chave antigas precisam ser re-avaliadas periodicamente, e palavras-chave competitivas de alto volume (ou palavras-chave “principais”, em oposição a palavras-chave de cauda longa ) podem ser substituídas ou aumentadas com frases mais longas e específicas, criadas para não trazer qualquer visitante, mas exatamente os visitantes certos.

Ferramenta de pesquisa de palavra-chave WebPeak 

A  WebPeak possui mais de 16 ferramentas de SEO indispensáveis para seu negócio,  ou seja, todas as ações eficazes de SEO estão presentes na plataforma.

A Keyword Tool WebPeak é ideal para mensurar quais palavras-chave são direcionados ao público de seu negócio. Através dessa métrica é possível alcançar pessoas que possuam interesse em seus emails com exatidão. 

  • Pesquisas de nicho de palavras-chave efetivas;
  • Pesquisa local (até nivel cidade);
  • Competitividade e tendência de termos;
  • Auditorias e análises de sites;
  • Estratégia de link building;
  • Métricas de mídia social;
  • Análises detalhadas de marketing e do mercado;
  • Melhores termos do Ads;
  • Lista inteligente de termos.


Diante disso, é preciso que você compreenda que existem ferramentas de SEO que vão facilitar o processo de aplicação de SEO em seu negócio. A WebPeak possui um papel central quando o assunto é SEO, afinal, agregamos um conjunto completo com dezenas de ferramentas de SEO para seu negócio.

Em tempos de alta competitividade na internet, abraçar ferramentas como Keyword Tool que vão trazer resultados ou mesmo potencializar suas ações é fundamental. 

More of Keyword Tool WebPeak:

  • Sugestões de palavras-chave perspicazes mais lucrativas;
  • Sugestões da sua conta Google Search Console (anteriormente Ferramentas do Google para webmasters) em palavras-chave poderosas;
  • Sugestões de palavras-chave obtidas de sites concorrentes
  • Performance das palavras-chave da conta Ads;

A ferramenta de pesquisa de palavras-chave agrega muito valor ao seu negócio, você pode melhorar e simplificar a pesquisa e análise de palavras-chave.

Por um lado, as práticas recomendadas de SEO orientam que você inclua palavras-chave relevantes em várias áreas de alta atenção em seu site, desde os títulos e corpo de texto de suas páginas até seus URLs, suas meta tags e seus nomes de arquivos de imagem.

Outro ponto é que sites otimizados com sucesso tendem a ter milhares ou até milhões de palavras-chave. Você não pode muito bem criar uma página única e exclusiva para cada uma de suas palavras-chave; ao mesmo tempo, você não pode tentar empilhar tudo em um punhado de páginas com recheio de palavra-chave e esperar classificação para cada palavra-chave individual. Não funciona dessa forma. 

Outras importantes ferramentas de SEO e Palavras-chave 

Google Trends, para tendência de buscas

O Google Trends é um sistema muito conhecido e usado por vários profissionais de SEO, muito útil em pesquisas de palavras-chaves. A função dessa ferramenta é conseguir extrair novas informações das palavras-chave que já constam no seu plano.

O Google Trends se destaca em:

  • Evidenciar sazonalidades de busca para uma determinada palavra-chave;
  • Comparar o volume de busca de até 5 keywords de uma só vez, dentro de um período pré-determinado;
  • Ver a distribuição de busca de uma keyword por região (país, estado, cidade);
  • Ver pesquisas relacionadas.

Planejador de palavras-chave Google Ads, para oportunidades

De acordo com próprio Google: “Use essa ferramenta gratuita para descobrir novos termos relacionados à sua empresa e ver estimativas do número de vezes em que eles são pesquisados e do custo para segmentá-los.

Ela também oferece outra forma de criar campanhas de pesquisa com base em pesquisas de palavra-chave detalhadas.”

Você poderá encontrar esse recurso dentro de sua conta do Google Ads (antigo Google Adwords).

O Google AdWords (Google Ads) é o sistema de publicidade do Google em que os anunciantes fazem lances em determinadas palavras-chave, para que os seus anúncios apareçam nos resultados de pesquisa do Google.

Nessa ferramenta, preferida de muitos profissionais, é possível divulgar todos os tipos de anúncio a partir de duas redes: a rede de pesquisa e a rede de display. Na rede de pesquisa que são os resultados de busca do próprio site Google, os anúncios são em formato de texto. Para definir o posicionamento dos anúncios é feito um leilão.

Através da rede e display você pode fazer anúncios de diversos tamanhos e inclusive anúncios gráficos. Você pode também anunciar no YouTube com anúncios de vídeo, texto ou gráficos. A segmentação dos resultados na rede de pesquisa são por meio de palavras-chave ou termos pesquisados. Já na rede de display os resultados são por tipos e segmentos de negócios, sempre relacionado às palavras que contém o site onde os anúncios são exibidos.

Vantagens do Google Adwords

  • Ferramenta de medição detalhada, o que torna a sua campanha bem mais fácil de se controlar;- Grande audiência potencial;
  •  Afluxo imediato de tráfego;
  •  Controle total sobre seu orçamento diário e o custo máximo por clique;
  • Retorno imediato sobre o investimento (Você pode facilmente definir um custo por conversão e entender em que ponto o seu lucro é feito);
  • Opções de segmentação, incluindo regiões, hora do dia, dias da semana, e sites específicos (se estiver usando Rede de Display);
  •  Opções de publicidade diferentes, incluindo Rede de Display, Rede de Pesquisa e Remarketing;
  •  Visando aqueles que já têm um interesse e, portanto, são mais propensos a converter em vendas.

Desvantagens do Google Adwords

  • Se a sua campanha for criada e gerida de forma incorreta, pode ser extremamente caro;
  •  Configuração e gerenciamento pode ser muito demorado;
  • Espaço limitado no seu anúncio;
  • A menos que você utilize outras formas de publicidade do Google, como o Google Shopping e publicidade no YouTube, você não pode incluir imagens ou vídeos para vender produtos e serviços;
  •  Dependendo de sua indústria, o custo por clique (CPC) pode ser substancial;
  • Dependendo do seu mercado-alvo, a maioria do grande público potencial pode vir a ser irrelevante.

Search Console, para acompanhar seu site

O Google Search Console é uma ferramenta usada para todos os tipos de projetos com relação a sites que você venha a começar. 

Com o passar do tempo, a ferramenta basicamente se tornou protocolo de qualquer estratégia de SEO logo no seu início, o que a torna indispensável. E não apenas por ser uma ferramenta de SEO gratuita, como também funciona muito bem juntamente com o Google Analytics.

Caso esteja dando início ao seu site do zero e quer que ele seja otimizado para os motores de busca, o Google Search Console precisa ser prioridade nas ações.

SimilarWeb, para acompanhar a concorrência

A ferramenta SimilarWeb é um software que estima a quantidade total de tráfego que diferentes sites recebem. Ela permite que você veja as principais fontes de tráfego dos concorrentes, divididas em categorias principais, incluindo sites de referência, tráfego social e principais palavras-chave de pesquisa.

Ahrefs, para backlinks

O software Ahrefs é uma ferramenta de SEO criada em 2011, para fazer uma análise avançada de domínios, com maior foco para gestão e análise das estratégias de link building (backlinks). Também serve para analisar métricas de link building e links que uma página ou domínio recebem.

Moz, para métricas do site

A Moz é um empresa de software como serviço (Saas), com sede em Seattle, que trabalha, principalmente, através do Inbound Marketing. Foi fundada em 2004 como uma empresa de consultoria e mudou para desenvolvimento de software SEO em 2008. Oferecendo ferramentas para pesquisa de palavras-chave, gerador de termos para SEO e análise de link com dados detalhados sobre inbound e qualidade.

Majestic, para mais backlinks

O software Majestic SEO é uma das ferramentas mais importantes para planejar a otimização de sites, para executar estratégias de Marketing de Conteúdo e para analisar backlinks. Essa plataforma oferece uma análise completa e detalhada dos resultados das URLs e domínios pesquisados.

Alexa Rank

De acordo com o Kinsta: “O Alexa Rank é um sistema de ranqueamento global que classifica milhões de websites em ordem de popularidade. Ele é calculado através da observação da média diária estimada de visitantes únicos e o número de visualizações de página de um determinado site nos últimos três meses. Quanto menor o Alexa Rank, mais popular é o website.”

Chegando até aqui você deve estar pensando no milhões de dólares que terá que gastar para fazer um bom SEO. Mas calma, existe uma ótima solução:

Dentro da WebPeak você encontra:

  • Preço em Real (BRL)
  • Suporte especializado e Brasileiro
  • Ferramenta e Tutoriais em português
  • Ferramentas de palavras-chave
  • Acompanhamento de concorrentes
  • Dados do Majestic
  • Dados do Alexa Rank
  • Dados do MOZ
  • Social insights
  • Integração com Facebook, Google Analytics, Search Console, Meu negócio e Ads
  • Envio de sitemap one-click

Agora você não tem mais desculpas para ter sucesso com SEO!

Tudo sobre SEO Interno

Para ter um bom posicionamento é necessário investir em SEO interno, e isso só é possível através das boas práticas de otimização. Além disso, também é possível otimizar a sua página sem dor de cabeça e alcançar os resultados desejados. Confira! 

O que é SEO interno

SEO interno nada mais é do que as otimizações que são feitas dentro do próprio endereço, incluindo o conteúdo e a estrutura das páginas. É muito importante que essa parte seja feita com muita cautela, pois ela poderá garantir ótimos resultados.

Ao otimizar as páginas você tem uma chance do Google te considerar como resultado para uma busca realizada, o que conhecemos como tráfego orgânico. Em outras palavras, no mercado toda essa estratégia é conhecida como “otimização on-page”.

User Friendly

Utilize templates amigáveis para dispositivos móveis. Desde 2015, o Google mostra a importância das buscas feitas pelo celular e que elas superaram as buscas feitas no desktop nos principais países. Um dos pontos mais relevantes para o Google é justamente entregar uma experiência positiva para seus usuários, consequentemente as páginas responsivas para celulares e outros dispositivos móveis são priorizadas.

Sendo assim até mesmo o SEO para Landing Page precisa estar ajustado a essa realidade, em outras palavras, é imprescindível usar templates de Landing Page Mobile-friendly.

Conteúdo de Qualidade para SEO

O uso de uma determinada palavra-chave em seu conteúdo aumenta as chances de que o Google exiba sua página como resultado para quem está fazendo buscas relacionadas àquela palavra.

Contudo, se formos analisar o outro lado da moeda, o uso constante de uma mesma palavra pode confundir os usuários. O Google não aprova esse tipo de conduta, seus conteúdos devem ser de qualidade. Ou seja, nada de repetir as palavras-chave sem coerência, não se esqueça que o leitor precisa apreciar o seu conteúdo. 

Além disso, no final das contas você pode sofrer com algumas punições para página, como: queda de exibição de sua página nos resultados de pesquisa.

Nada que o bom senso e o conhecimento em SEO não resolva, é necessário que as palavras-chave estejam distribuídas de forma natural dentro do conteúdo, assim você melhora o posicionamento e irá converter leads.

Se tratando das penalidades do Google, o plágio é um dos maiores problemas quando se fala em SEO. Se o mecanismo de busca interpretar que um conteúdo é a cópia de outro mais antigo, dará uma punição de não indexação.

O grande desafio é que pode acontecer uma situação de autoplágio. Inúmeros endereços do seu blog podem direcionar para uma mesma página, dando a ideia de que são conteúdos diversos.

Nesse caso, o algoritmo irá entender que são conteúdos que deveriam ser diferentes e irá identificar o conteúdo duplicado. Para evitar a penalização, o certo é retirar os conteúdos, o que pode ser feito por meio das tags canônicas.

Volume de Páginas Indexadas

A intenção central do algoritmo do Google é organizar todo o conteúdo da web para torná-lo acessível aos usuários. Para tanto, o buscador desenvolveu um robô capaz de rastrear as páginas da internet, compreender do que elas tratam e ordená-las, de modo que o usuário encontre os melhores resultados para as suas pesquisas.

Ao realizar uma pesquisa por algum termo no Google, você nem imagina todo o processo de busca que está por trás. Isso porque o robô percorre um longo trajeto, embora tudo aconteça em segundos muito rápidos. Os passos percorridos são os seguintes: 

  • Rastreamento (crawling): identificação de URLs novas ou atualizadas para serem indexadas — ocorre a todo momento;
  • Indexação: identificação dos conteúdos das páginas para organizar o índice de URLs do buscador — ocorre a todo momento;
  • Classificação (ranking): ordenação dos conteúdos indexados pelo robô para exibir os resultados de acordo com o termo de busca — ocorre a cada pesquisa do usuário.

Diante do que foi apontado, para que as suas páginas apareçam mais rápido, e lembre-se,  bem posicionadas, nos resultados da busca, você deve facilitar o trabalho do Googlebot. 

Para isso, há ações importantes como: 

  • Verificar problemas de rastreamento
  • Utilizar a Ferramenta de Inspeção de URL
  • Enviar sitemaps para o Google
  • Usar o Google API para indexação
  • Criar links internos em páginas importantes
  • Compartilhar os conteúdos nas redes sociais
  • Otimizar a arquitetura de informação do site
  • Entre outras ações que estão esclarecidas neste conteúdo. 

Entretanto, saiba que o volume de páginas indexadas é importante para ter um bom posicionamento nos buscadores. 

Uso e Repetição de palavras-chave no SEO

As palavras-chave estão entre os pontos essenciais de uma otimização de SEO. Como são os menores elementos que definem um assunto, elas são utilizadas nas buscas por usuários, e todos já fizeram isso ao buscar algo no Google, como você já bem sabe. 

Alguém que busca por materiais, arquivos, documentos acerca de questões de gênero, por exemplo, provavelmente buscará por “pesquisas de gênero”.

Um artigo bem ranqueado com a palavra-chave “pesquisa de gênero”,possivelmente, receberá a atenção de boa parte dos usuários que fazem a pesquisa, logo, irá ganhar visita e notoriedade. 

Para obter bons resultados, as palavras-chave precisam ser encontrados corretamente, como com ajuda de ferramentas específicas. Ao invés de priorizar as muito curtas e genéricas (chamadas de short tail keywords), o ideal é dar preferência para as conhecidas como cauda longa (long tail keywords).

Essas, normalmente, contêm mais de 3 palavras e trazem uma abordagem profunda sobre o tema. Por outro lado, isso diminui o volume de pesquisas, é uma forma de aumentar o tráfego qualificado, de modo orgânico. 

Outro ponto crucial nesse assunto é impulsionar a repetição de palavras-chave no conteúdo. Afinal, assim é possível garantir um bom volume desses termos dentro de um artigo. 

Lembre-se: seja coerente e sensato quando for repetir as palavras-chave, é importante que elas sejam repetidas proporcionalmente a quantidade de palavras no conteúdo. 

Semântica de Conteúdos para SEO

Com a consagração do marketing de conteúdo, o conteúdo tornou-se oxigênio para quem investe no módulo. A partir disso, é extremamente ter e mente que o conteúdo é fator primordial em uma estratégia de SEO

Mas preste atenção, isso não significa que você deva produzir muito em volume, porém, é importante focar em conteúdos valiosos para seus leitores, que de fato eles queiram absorver. Foque no seu público e não em produzir em massa só para gerar conteúdo. Nesse sentido, valorize a semântica de conteúdos.

Além de criar uma periodicidade de postagem, faça com que as pautas dos artigos se relacionam, assim será possível fazer o leitor tornar-se presente no seu blog com frequência.

A periodicidade dos seus conteúdos dependerá do planejamento de seu negócio, porém, é fundamental manter a frequência estabelecida. Basta estipular o tempo de postagem e colocar a mão na massa.  Isso não significa que não existam blogs excelentes que postam conteúdos todos os dias.

Não deixe de valorizar sua equipe e escolher o melhor modelo, que caiba na dinâmica de seu negócio, este é um caminho importante para ser um especialista de SEO destacado.

o que é seo, guia enterprise par chega na primeira pagina - webpeak

Marcações Importantes de SEO

Para explorar o que há de melhor em otimização interna, existem marcações importantes de SEO que devem ser colocadas em prática. E é impossível falar de SEO sem falar de Meta Tags.

Meta Tag é um comando implementado no código de páginas web, dentro da área Head do site (entre as tags <head> e </head>) para repassar instruções a programas externos ou ações mais simples, como informar qual a pessoa responsável pelo desenvolvimento da página.

Algumas Meta Tags são utilizadas para passar aos sites de busca como o Google, Bing, entre outros, instruções sobre o título da página e uma descrição breve a ser exibida nos resultados de busca, quais páginas devem ou não ser indexadas, assim como outras instruções.

Em resumo, Meta tags são comandos em HTML que descrevem o conteúdo de uma página para os mecanismos de busca, ou seja, fornecem dados como título ou breve resumo sobre o assunto abordado para programas externos.

Por meio das meta tags é possível indicar a autoria do responsável pelo desenvolvimento da página. Elas normalmente não são visíveis aos usuários, mas estão em que ele realizam suas pesquisas.

Qual a importância de Meta Tags para SEO

Meta Tags tratam-se de uma importante ferramenta de comunicação entre o webmaster e os sites de busca, como vamos apresentar mais abaixo. Para muitas pessoas, porém, SEO é somente isso, Meta Tags. Isso está longe de ser verdade.

O Google utiliza perto de 250 variáveis para determinar os resultados de pesquisa, e as meta tags são apenas algumas delas. Diante disso, atente-se a outros meios. 

SEO Meta Tag Title

O campo Title não é uma Meta Tag, porém é o mais importante comando em uma página web para SEO.

Exemplo de um Title: <title>SEO para você ser líder de primeira página</title>

SEO Meta Tag Description

É a Meta Description que normalmente define a descrição exibida nos resultados do Google, ou qualquer outro site de busca. Descreva o conteúdo da página de uma forma a estimular o interesse das pessoas em conhecer mais sobre o conteúdo da página, para aumentar a visitação do seu site. 

Exemplo de um Meta Description: <meta name="description" content="Acompanhe as melhores estratégias de SEO para você ser líder de primeira página!" />

SEO Headlines

São recursos de programação HTML utilizados para destacar títulos e subtítulos de uma página. 

Conceitualmente, o H1 possui um destaque maior, uma fonte maior, e é geralmente o elemento de texto mais visível da página, conhecido também como o assunto principal em destaque, o ‘’título mãe’’. Utiliza-se para determinar o principal assunto abordado em uma página, visto que o título de uma página conceitualmente define o conteúdo.

Em plataformas como o WordPress e WebFlow, por exemplo, basta colocar no campo disponível para colocar o título principal. 

Dica: a presença da palavra-chave nos títulos e subtítulos é bem importante para ranquear de maneira orgânica. 

Exemplo de Heading Tags:

  • <h1>Como fazer Otimização de SEO</h1>
  • <h2>Como fazer Otimização em SEO</h2>
  • <h3>Como fazer Otimização SEO</h3>
  • <h4>Como fazer Otimização para SEO</h4>
  • <h5>Como fazer Otimização para SEO</h5>
  • <h6>Como fazer Otimização para SEO</h6>

Aqui vamos às regras finais, e muito simples, que você pode seguir para a elaboração de títulos no seu site:

  • Crie um único título por página;
  • O título precisa ter relação com o conteúdo da página;
  • Explore a principal palavra-chave do conteúdo (e se possível, não deixe de investir, em outras variações);
  • Ponha a sua marca no final do título (sempre que julgar a sua marca um diferencial);
  • Evite escrever uma série de inúmeros termos separados por vírgulas.

URL amigável

A URL ou endereço de uma página é um elemento importante tanto para o buscador quanto para o usuário. A URL traz uma ideia do que existe naquela página e antecipa o assunto antes mesmo que a visita seja realizada, garantindo melhor experiência para o visitante. 

Para entender melhor, considere essas 2 URLs:

  • www.webpeak.com.br/blogs/?p=561333
  • www.webpeak.com.br/blogs/como-fazer-otimização-seo

A URL 2 é muito mais fácil de ler e de prever o conteúdo existente. 

O indicado é que ela conte com a palavra-chave que vai ajudar no ranqueamento e na compreensão. Ao mesmo tempo, é muito importante deixá-la o mais curta possível. Para isso, evite palavras e elementos de ligação e tente concentrar o assunto na menor estrutura viável. As URLs otimizadas são boas tanto para o usuário que visita o site quanto para os algoritmos dos buscadores. 

Um dos primeiros passos para você facilitar que o robô do Google encontre facilmente os temas que você aborda nas suas publicações é utilizar URL amigável.

SEO de Imagens e Atributo Alt

Para o ranqueamento de imagens, o primeiro elemento se inicia ainda no seu computador, e é anterior ao upload da imagem para seus servidores: o nome do arquivo das mesmas.

SEO Imagens, ou seja, para otimizar suas imagens para o Google, o nome do arquivo da imagem é questão essencial. Afinal, ele é central para compreender textos e a relevância de certos conteúdos usando um algoritmo e dando valor às palavras-chaves.

Por exemplo, imagine que um crawler vai ler o código HTML do seu novo conteúdo, que fala sobre os diferentes tipos de saias disponíveis no mercado.

Você seleciona uma bela imagem de uma saia longa para ilustrar o trecho que explica esse tipo de saia para o seu leitor. Porém, o nome do arquivo é “IMG438.png”. O que o crawler terá acesso é isso:

  • <img src=”IMG438.png”/>

Isso já te mostra que não é uma informação muito útil para explicar o conteúdo da imagem que você utilizou no conteúdo. Nesse sentido, veja como ficaria o código se o arquivo fosse melhor nomeado:

Mesmo sem ver a imagem, conseguimos imaginar como ela é com um nome desses, não é mesmo?

Dessa forma, você facilita o entendimento para os algoritmos. 

Outros fatores importantes a serem trabalhados são: 

  • Legenda da imagem: o próprio buscador admite que faz uso das legendas para extrair informações e tentar compreender a imagem. 
  • Alt text: todas as imagens na Internet possuem um atributo ALT, que serve para descrever o conteúdo delas.
  • URL da imagem: organize a URL dos seus arquivos de mídia de forma lógica e concisa, para comunicar de modo rápido ao buscador que aquilo é uma imagem e qual seu conteúdo.
  • Dimensões da imagem: o Google tende a favorecer imagens mais ou menos retangulares, em proporções como 16:9 ou 4:3. O que faz com que dimensões como 1366 x 768 (16:9) ou 720 x 480 (4:3) tenham um rankeamento melhor do que imagens totalmente fora do padrão (como alguma coisa muito horizontal ou muito vertical).
  • Dados estruturados: outro ponto muito importante é que o Google Imagens usa o sistema de dados estruturados para criar certos “selos de destaque” para otimizar a busca dos seus usuários.
  • Formato da imagem: não é todo formato de imagem que consegue ser captado pelo Google Imagens. Diante disso, use o formato correto se quiser ser ranqueado adequadamente. O formato mais utilizado é o JPEG, pois é aquele com maior capacidade de compressão e consegue entregar arquivos com tamanhos pequenos. Entretanto, como ponto negativo, ele não trabalha com transparências, como o GIF e PNG.

Links Internos

Os links internos são utilizados para apontar para outras páginas dentro do seu próprio site, em outras palavras, são links que tem como fonte o mesmo domínio. Essa é uma forma de facilitar a navegação do usuário dentro do site, fazendo com que ele seja levado de uma página a outra com fluidez.

Quando trazemos para o SEO, os links internos são considerados como ferramentas de auxílio para conquistar um rankeamento melhor para o seu site diante de mecanismos de busca. Para compreender melhor a dimensão de tudo isso, precisamos entender como os principais algoritmos de busca funcionam.

Um grande exemplo são os algoritmos do Google, pois os robôs visitam seu site para rankear seu conteúdo, e como você acha que essa viagem é feita? Exatamente, através dos links internos da página.

Vamos considerar que sua página principal aponte para outras quatro páginas páginas, mas não aponte para a página de contatos. Os robôs não conseguirão identificar a página, uma vez que não existe ligação entre as páginas.

Assim que sabemos que existe essa relação entre links internos, páginas de conteúdo e a importância de estar bem posicionado, percebemos o quanto é essencial o cuidado aos detalhes.

Neste caso, para facilitar que suas páginas sejam encontradas, o mais indicado é que seja criado um mapa do seu site e deixá-lo disponível aos buscadores, assim é mais simples para contornar esse problema e ter uma estratégia de SEO mais eficiente.

Schema Markup ou Snippets

Essa é uma ótima maneira de ajudar seu site a se destacar de seus concorrentes em SEO. A forma para instalar no site pode ser encontrada em Schema.org. Uma vez adicionada em uma página da web, o Schema Markup cria uma descrição aprimorada (geralmente conhecida como rich snippets), que aparece nos resultados da pesquisa.

Esse tipo de marcação é altamente relevante, principalmente após as atualizações dos algoritmos Hummingbird e RankBrain.

Os rich snippets fazem com que suas páginas do site apareçam com mais destaque na SERP. Essa visibilidade aprimorada demonstrou melhorar as taxas de cliques.

Hoje, poucas coisas em SEO podem mudar os resultados rapidamente. Isso pode. #fikdik

Open Graph

Você já deve ter visto alguma publicação que tinha grades imagens, textos, descrições e a quantidade exata de caracteres que praticamente tomaram conta do seu celular ou Desktop. Se você se perguntou como aquilo funcionava, a resposta é simples: Facebook Open Graph.

Basicamente, o Open Graph transforma seu conteúdo em seções. Muito parecido com o Rich Snippets do Schema.org que já falamos aqui no site da WebPeak, o Open Graph requer que você separe determinadas partes da sua página e informe que tipo de informação é aquela.

Tempo de Carregamento

Um aspecto de SEO muito importante para alcançar o topo dos buscadores é estar atento ao tempo de carregamento. Por exemplo, não basta colocar as imagens no site e deixar para lá, na verdade existem basicamente 4 itens que devemos analisar nas imagens de uma página quando estamos falando de SEO:

  • O nome de arquivo;
  • O texto alternativo (alt text);
  • O tamanho do arquivo (peso);
  • O contexto.

Os itens acima são responsáveis por ajudar o Google a determinar qual é o assunto da imagem inserida naquela página, assim como também influenciam no tempo de carregamento.

É de extrema importância que todas as imagens tenham nomes simples, e também devem possuir um texto alternativo (alt text) caso a imagem não seja exibida. Para finalizar, a imagem deve estar otimizada e compactada, para diminuir seu peso e não afetar muito o tempo de carregamento da página. 

CDN

Uma vez que nem todos os dispositivos móveis possuam conexões de hardware ou de internet suficientemente potentes, a velocidade da página é fundamental em dispositivos móveis. Dessa forma, você precisará compactar suas imagens, tornar seu código leve e fazer uso do cache. Uma dica pra fazer parte desse serviços é utilizar um CDN, que irá otimizar o uso da cache e imagens nos navegadores, além de responder muito mais rápido às requisições de dados.

Uma CDN irá informar aos navegadores qual a melhor forma de baixar as imagens, utilizando caches e roteamentos sofisticados. Além disso, a própria CDN pode comprimir as imagens, sob demanda.

Por definição, CDN é uma rede de servidores que são colocados no mundo todo e que armazenam em cache o conteúdo de suas páginas da web, como imagens, scripts e assim por diante. O uso de uma CDN possibilita que o conteúdo estático seja baixado do ponto mais próximo do usuário, o resultado disso é uma velocidade de carregamento muito maior. Além disso, CDNs otimizam o uso das caches dos navegadores e comprimem os arquivos de texto e até as imagens.

As CDNs têm destaque quando o assunto é SEO, afinal, é crucial para acelerar o carregamento de páginas Web, justamente por esse motivo que tem crescido tanto no Brasil e no Mundo.

Reduzir CSS e JS inutilizado

Simplificar recursos do site. Se tratando de SEO, simplificar os códigos do seu site auxilia o Google a rastrear e indexar os seus conteúdos mais rápido.

Quando o robô encontra códigos confusos e repletos de caracteres desnecessários, ele pode reduzir o crawl budget do site, ou seja, o tempo que vai disciplinar para rastrear suas páginas.

É entendido que esse site provavelmente não oferece uma boa experiência ao usuário, afinal, os códigos são pesados e tornam o carregamento mais lento. Nesse sentido, ele nem perde tempo com essas páginas.

Um outro lado é que, ao minificar (simplificar) os recursos do site, você retira os caracteres supérfluos e reduz o tamanho dos códigos HTML, CSS e Javascript. Dessa forma, além de melhorar a velocidade de carregamento, o Google rastreia as páginas com mais facilidade, agilidade e frequência.

SEO: Auditoria Técnica e Links Quebrados

Um relatório sobre a saúde do site é ideal para uma melhor usabilidade e indexação do site. Diante disso, a Auditoria Técnica atua de modo a verificar as falhas que precisam ser melhoradas, como os links quebrados, etc. 

A ferramenta de Auditoria Técnica da WebPeak proporciona sua compreensão de como tornar os motores de busca e os visitantes satisfeitos com um site sem erros.

Existem serviços que realizam apenas isso no mercado: uma auditoria técnica página por página dentro do seu site. Mas na WebPeak você tem isso como apenas uma das várias ferramentas de SEO que vão te ajudar em sua análise. um dos motivos de sites terem erros 404 é por falta de linkagem interna apropriada.

Um link quebrado, por exemplo, traz como consequência a ‘’linkagem’’ para a outra página que não existe mais, ou foi mudada de lugar sem redirecionamento. Os links quebrados acabam com sua reputação e com a experiência do usuário. E é um dos principais motivos para sites terem erros 404. Exatamente, é por falta de linkagem interna apropriada.

Erros 404

Os erros 404 ocorre quando há problemas com links internos do seu site. Por exemplo, você tinha uma página chamada “promoção de Natal 2020” que retirou do ar. Não há problema em ter páginas 404, mas o ideal é fazer algo com elas. Nesse caso, deixar a URL ativa e redireciona-lá no final do ano para “Promoção de Natal 2021”;

Erros 500

Os Erros 500 ocorrem quando há erros de servidor. Nesse caso, a ferramenta de Auditoria Técnica da WebPeak te avisará. O ideal é fazer com que páginas que derrubem o servidor sejam otimizadas para serem mais leves e funcionais.

Lazy de Imagens

O Lazy de Imagens é uma forma de adiar o processo ou carregamento de algo e pode ser utilizado em diversas áreas. Utilizando em imagens, mais especificamente, significa carregá-las somente quando estiver no viewport (área visível do navegador), aumentando assim a velocidade do carregamento da página.

Essa técnica é utilizada atrás do JavaScript, adicionando um atributo na tag img com endereço completo da imagem, e enquanto vai sendo acessado na área visível, ela irá carregando. Trata-se de uma técnica que não surgiu agora, mas em muitos momentos não era performática com as técnicas utilizadas. Mas os tempos mudaram. 

Sitemap.xml

Existem algumas práticas que podemos realizar em nossos sites que facilitam a leitura e interpretação das páginas para os robôs dos motores de busca. Uma das mais importante é a criação do sitemap.xml. No momento que você cria e envia um sitemap.xml, é possível elevar as chances do buscador conhecer todas as suas páginas. 

Alguns benefícios dessa prática são:

  • O tempo de indexação de suas páginas torna-se menor;
  • URL’s com má linkagem interna que dificilmente seriam encontradas pelo processo padrão de rastreamento dos motores de busca, passam a ter grande possibilidade de serem descobertas.

Robots.txt

Meta Robots é uma meta tag criada para passar orientações aos robots dos buscadores. Cada página deve ter o seu meta robots. Observe alguns dos parâmetros que podem ser passados:

  • index: indexe esta página - exiba-a em seus resultados de busca;
  • noindex: não indexe esta página - não a exibe nos resultados de busca. Útil para páginas como de login e acesso à intranet;
  • follow: siga os links desta página para descobrir novas páginas;
  • nofollow: nenhum dos links desta página deve ser seguido;
  • nosnippet: orienta o site de busca a não exibir a descrição da página nos resultados de busca;
  • noodp: orienta o Google não utilizar a descrição do diretório DMOZ em seus resultados (snippet);
  • noarchive: instrui o Google a não exibir a versão em cache da página;
  • noimageindex: não indexe nenhuma imagem da página.

Veja alguns exemplos de Meta Robots:

  • <meta name="robots" content="index, follow"> - sintaxe mais comum de meta robots - orienta os buscadores a indexar o conteúdo da página e seguir todos os links para descobrir páginas novas.

  • <meta name="robots" content="noindex, nofollow"> - orienta os buscadores a não indexar o conteúdo da página e impede-a de seguir os links para descobrir novas páginas.

Nota: o comando para orientar ao Google a não indexar uma página pode também ser dado do arquivo robots.txt.

PWA

De modo geral, os Progressive Web Apps são uma metodologia de desenvolvimento, que tornam a experiência de uso de uma página web pelo celular semelhante a de um aplicativo mobile.

Trata-se, portanto, de uma evolução híbrida entre um aplicativo e uma página web.

Vale comentar que a visão original de Steve Jobs, o co-fundador da Apple, era de que os aplicativos fossem aplicações web.

As principais características dos PWA são:

  • Podem ser usados independente do browser ou dispositivo;
  • Funcionam offline;
  • Enviam push notifications;
  • Permitem que o usuário adicione um ícone na tela principal do smartphone;
  • Atualizam automaticamente;
  • E oferecem uma experiência parecida de um aplicativo nativo.

Quais são as vantagens do PWA no SEO?

Retenção e economia são as principais vantagens do PWA. Normalmente, ao utilizar um aplicativo o usuário segue um passo a passo – pode variar entre: buscar o app, instalar, abrir, se cadastrar, interagir e compartilhar.

Em cada uma dessas etapas podemos perder até 20% do público, mas numa aplicação web esse caminho é encurtado.

Além disso, os custos de desenvolver um PWA são mais baixo, uma vez que se trata de apenas uma plataforma acessível para todos os usuários, independente do dispositivo.

Alguns cases de sucesso de PWA são: Alibaba e Flipkart

E as desvantagens?

Quando comparado aos apps nativos, os PWA ficam atrás por não oferecerem compatibilidade de lista de contatos, Near Field Communication (NFC) e bluetooth.

Outro ponto desfavorável é a resistência da Apple em aderir – por mais que a empresa não consiga ignorar por muito mais tempo.

Site Responsivo no SEO

Para determinar se o site é responsivo e que atende aos interesses de quem pesquisa, o algoritmo do Google considera alguns fatores, como: 

  • confiabilidade do conteúdo 
  • tempo de permanência do visitante no site.

Os pontos destacados são muito favorecidos por uma estratégia de link building, ou seja, acrescentar links ao conteúdo.

Ao fazer referências de páginas externas de qualidade e autoridade, o buscador compreende que está sendo oferecido informação útil para os usuários. Por outro lado, ao fazer link building internamente de forma adequada, é provável que as pessoas passem mais tempo consumindo outros conteúdos.

Com isso, o algoritmo entende que a página tem qualidade e oferece posições melhoradas.

Dica: Para ter melhores resultados, não desconsidere o poder do guest post. Com bons parceiros, é possível aumentar o alcance de público e conseguir links de um domínio com boa reputação. Dessa forma, o algoritmo lê o site de uma forma otimizada, o que leva a um melhor resultado de ranqueamento.

"Novas" regras de SEO para Mobile First Index

Num passado não tão distante, a indexação era baseada na versão desktop do site.

O resultado disso foi potenciais prejuízos para os usuários que faziam buscas por mobile, afinal, os bots não identificavam algumas diferenças e perdas de conteúdo de uma para outra.

Com o Mobile First Index, ela será baseada exclusivamente na versão mobile. Se antes o mobile era considerado somente um fator de rankeamento, com a mudança, ele passar a ser primordial.

Nesse sentido, é importante destacar também que ela tem afetado os rankings do mobile e pode afetar o tráfego do seu site como um todo.

Isso mesmo, você já se deparou com aquele gráfico do Analytics caindo? Considere a possibilidade de ser consequência do mobile-index first, caso você não tenha uma estrutura mobile otimizada.

Mas antes de ficar preocupado, saiba que a mudança está sendo feita de forma gradual — assim como todas as mudanças de grande magnitude do Google. Afinal, trata-se de um novo desafio até para o Google, que precisa elaborar novas maneiras de analisar das versões mobile, que não possuem tantos sinais para os bots quanto desktop.

Essa é uma maneira tanto de testar a efetividade da nova indexação, quanto de não causar um impacto significante para o usuário e dar tempo para que as empresas possam adaptar seus domínios. Em um primeiro momento, o Google irá analisar inúmeros sites e indexar aqueles que já estão preparados para mobile. E você, está preparado? 

SEO Externo

O SEO externo, para explicação simples, diz ao Google o que os outros pensam sobre o seu site. Por exemplo, caso você tenha muitos links valiosos apontando para as suas páginas, os mecanismos de busca irão entender que você possui um ótimo conteúdo. É isso mesmo, daqueles que vão proporcionar valor para os usuários.

Caso contrário, por qual motivo as pessoas iriam perder tempo vinculando suas páginas?

As pessoas apenas citam, referenciam e compartilham conteúdo que elas gostam. Até mesmo em um negócio com produtos físicos, se o seu produto for útil e acessível, você conseguirá muitas referências que partem do boca a boca dos seus clientes atuais.

O SEO pode causar espantos em um primeiro momento, sobretudo quando você não sabe que passos seguir para conseguir melhorar o ranking de suas páginas com conteúdos novos nas primeiras posições do Google. Entretanto, se você puder desenvolver um entendimento básico de otimização interna e otimização externa , saiba que você estará bem à frente de seus concorrentes.

Nesse sentido, o SEO externo se refere a todas as atividades que você e os outros efetuam longe do seu site com o intuito de melhorar a posição de uma página nos resultados dos mecanismos de busca.

O que muitas pessoas fazem é associarem o SEO externo apenas com o link building, mas saiba de uma vez por todas que ele vai muito além disso. Muitas atividades, mesmo que não resultem em um link padrão em outros sites, são fundamentais para a otimização externa.

Basicamente, SEO interno ocorre no próprio site, enquanto SEO externo acontece fora do site. Caso você tenha que escrever um guest post para outro blog ou deixar um comentário, você estará fazendo SEO externo.

O que são Backlinks ou Link Building?

Para determinar se o seu site é responsivo e que atende aos interesses de quem pesquisa, o algoritmo considera inúmeros fatores. Entre eles estão a confiabilidade do conteúdo e o tempo de permanência do visitante no site.

Esses pontos destacados são muito favorecidos por uma boa estratégia de link building, ou seja, acrescentar links ao conteúdo.

Ao fazer referências de páginas externas de qualidade e autoridade, o buscador compreende que você está oferecendo informação útil para os usuários. Por outro lado, ao fazer link building internamente de forma adequada, é provável que as pessoas passem mais tempo consumindo outros conteúdos.

Com isso, o algoritmo entende que a sua página tem qualidade e oferece posições melhoradas.

O que são Backlinks de Autoridade?

Nunca se esqueça: a autoridade de um site é um processo, ela é construída. Um dos principais pontos quando o assunto é SEO externo é gerar bastante autoridade para o site,  ao ponto do próprio algoritmo entender que seu endereço online é referência no assunto, e que é um dos melhores no nicho em questão.

Como aumentar a autoridade do meu site 

Há inúmeras maneiras de aumentar a autoridade aos olhos do Google. As principais são:

1) Página na Wikipédia: Wikipédia nada mais é que um grande sinal de autoridade para a internet. O próprio Google já deixou claro que a reconhece como uma fonte confiável de informações. Mesmo que os links sejam nofollow, ainda assim possuem peso e relevância para os sites que são mencionados.

2) Backlinks contextuais em outros sites de autoridade: entrar em contato com outras companhias e trocar links em artigos de blogs são ações muito bem vindas quando o assunto é SEO. Os links de sites na mesma área que a da sua empresa (saúde, educação, telecom) possuem valor extra para os robôs, pois tratam-se de backlinks considerados “contextuais”.

3) Backlinks em fóruns, sites de notícias e mídias sociais: essas menções devem estar sempre em evidência. Os mecanismos de busca aplicam pontos extras para sites que são mencionados em páginas de redes sociais, fóruns, sites de perguntas e respostas, sobretudo grandes sites de notícias. Estes últimos por si só possuem altos níveis de autoridade, logo, ser mencionado como fonte ou referência em uma matéria é tido como um “empréstimo” de autoridade.

Tipos de marcação para Backlinks

Mais importante do que a quantidade de links é a qualidade dos links que você recebe. Como você já sabe, o Google é bastante criterioso, e a qualidade dos links é o que o algoritmo do Google avalia.

Sabemos que o Google consegue identificar através da qualidade dos links a relevância do seu site para a internet, esse é um ponto que diversas pessoas que se interessam por SEO ainda não compreenderam.

O que queremos dizer é que não adianta mais você ficar utilizando Robôs para cadastrar o seu site em centenas de Fóruns por dia, pensando que assim seu site vai ficar em uma boa posição.

Vamos supor que seu site receba links de um site com PageRank 5, quer dizer que o seu site não é um site qualquer comum em meio a tantos, e sim um site influente e relevante, e podemos dizer que é melhor do que um site com 100 links de sites com PageRank 0.

Marcações importantes para Backlinks:

Link Juice

Uma definição sintetizada é que o Link Juice é o valor da Autoridade do domínio/página que é transferida para o seu site, e funciona como uma indicação essencial, uma espécie de Carta de Recomendação, que você recebe para apresentar em uma entrevista de emprego. Dessa forma, quanto mais alto o PageRank do site que é linkado, melhor o Link Juice.

Importante: não é somente PageRank, vale muito se atentar ao campo semântico do site, os assuntos dos conteúdos publicados no site que linka e no seu site.

Exemplo: suponhamos que você tenha um blog que fala sobre moda e recebe dois links, um da Revista Vogue (PageRank 5) e um da Magazine Luiza (PageRank 5), nesse caso o Link Juice da Revista Vogue é melhor que o da Magalu, isso porque a Revista Vogue (sobre Moda) tem o mesmo campo semântico que o seu blog, mesmo que os dois sites terem o mesmo PageRank.

No comecinho da internet todos os links transmitiam Link Juice, mas com o avanço da internet e das possibilidades de interação dos usuários foi necessário criar mecanismos para diferenciar links que transmitem Link Juice daqueles que não são capazes de transmitir. 

Link Nofollow

Link nofollow é ideal para se proteger contra a criação de relacionamento com qualquer tipo de site, sobretudo sites de baixa qualidade, os grandes portais utilizam a tag nofollow, um código HTML que informa ao robô do Google justamente que aquele link não transmite Link Juice para o outro site.

O Wikipedia é um exemplo de site onde qualquer pessoa pode criar links e tem um excelente PageRank, além de falar sobre diversos outros assuntos. É por isso que todos os links têm nofollow, mesmo que esses sejam destinados para sites relevantes como o Google. A grande vantagem de possuir um link na Wikipédia é que pode gerar tráfego para o seu site.

O modo mais fácil de identificar se os links tem nofollow está em instalar um plugin no seu navegador que aponte quando é nofollow

Link Dofollow

Qualquer link que não possua a tag rel=”nofollow” é um link dofollow, ou seja, trata-se de um link que transmite Link Juice para o seu site.

Diante disso, ao pensar em estratégias de Link Building é fundamental que os links para o seu site sejam dofollow.

O quão seu site é relevante na internet aumenta com os links dofollow que você recebe.

Tenha foco também nos links que você coloca no seu site apontando para outros sites.

Ao criar um link você está criando um relacionamento com um outro site, e disso vale voltar à analogia sobre as relações que você possui em sua vida cotidiano, então se você cria links para sites, sites pouco relevantes com conteúdo de pouca qualidade, isso faz com que a relevância do seu próprio site diminua. Fique atento. 

Outra dica que damos é que super interessante ter plugins para que os links de comentários no blog ou Fórum tenham nofollow de modo automático, pois você evita a criação de links para sites ruins do mesmo modo que a Wikipédia realiza.

Sponsored

Sponsored Content, ou Conteúdo Patrocinado, trata-se de um conteúdo premium que um patrocinador paga a um editor para criar e distribuir. É um tipo de publicidade nativa que condiz com o conteúdo que circula em uma página da web.

Em outras palavras, o sponsored é um anúncio que parece estar naturalmente em uma plataforma, ao invés de um anúncio invasivo.

Por que o Sponsored é uma forma popular de marketing?

  • O conteúdo patrocinado dá credibilidade a uma marca, fazendo-a parecer credível e confiável, colocando-a ao lado de outras coisas de que o espectador se identifica.
  • O conteúdo patrocinado aumenta a experiência do usuário ao invés de atrapalhá-lo.
  • Construir sua presença na internet dependendo somente da mídia paga é frequentemente invasivo. O conteúdo patrocinado é uma das poucas maneiras de pagar pela exposição sem interromper as pessoas.
  • O conteúdo patrocinado não está restrito a 1 formato ou tipo de mídia.
  • O conteúdo patrocinado traz vantagens recíprocas. Afinal, um criador de conteúdo (com uma certa audiência) obtém financiamento e um criador de produto (que precisa de uma audiência para atrair clientes) recebe uma audiência. 

Para resumir, o sponsored é simples: duas marcas formam uma parceria de conteúdo patrocinado, o anunciante paga pelo conteúdo e outra marca, influenciador ou editor o compartilha.

Tipos de Backlinks

Backlinks dividem-se principalmente em 2 tipos: Backlink que você Constrói e Backlink que você Ganha. 

Isso significa que alguns links você pode criar e construir. Isso inclui ações como: 

  • Links de perfil social;
  • Comentários em blog;
  • Links de assinatura do fórum; 
  • Listagens de diretórios de negócios;
  • Entre outros.


Além disso, existem outras maneiras de ganhar links, que demandam ações como: 

  • Postagem de convidado: ofereça-se para escrever conteúdo para sites de outras pessoas. Isso pode ajudá-lo a ganhar exposição e backlinks extras. E melhor, fechar parcerias que valem a pena, em que as empresas se conversam pelos produtos ou serviços ofertados está entre uma das inúmeras estratégias de SEO. Não deixe as oportunidades passarem.
  • Comunicados de imprensa: se você tem algo interessante para compartilhar, um comunicado de imprensa on-line pode aumentar sua contagem de backlinks.
  • Rede Social: quando você participa ativamente de sites de redes sociais, você não apenas marca a si mesmo como um especialista, mas também pode adquirir vários backlinks.

Embora qualquer uma dessas estratégias de backlinks possam ajudar seu site a subir nas classificações do mecanismo de pesquisa, você deve acompanhar os resultados para ver quais técnicas têm o maior impacto. Com o tempo, uma campanha consistente de criação de links deve gerar melhorias significativas em suas classificações de pesquisa e no tráfego do site.

Guestpost

Vale ressaltar: não é possível controlar quais domínios irão citar o seu conteúdo/blog, mas escrever para determinadas fontes de tráfego de qualidade, com autoridade, são peças essenciais da estratégia. O guest post entra nesse momento, que é uma das técnicas mais antigas de link building, e reúne os esforços necessários para conseguir links externos.

Esta é uma prática que consiste em escrever conteúdos para outros sites e blogs como convidado. Esta finalidade, além de promover sua marca e ajudar a educar a audiência de um parceiro, colabora para inserir um ou mais links que vão ser redirecionados para a sua loja.

Para isso, procure sites que estejam em seu universo de atuação, atente-se para que não sejam os concorrentes diretos. O motivo é simples, concorrentes dificilmente liberariam seus espaços para você e, segundo, sua loja não precisará de visitantes que venham de sites de outros mercados, ou seja, tráfego pouco qualificado.

Diretórios

Encontrar bons diretórios pode ser uma tarefa trabalhosa nos dias (cada vez mais corridos) de hoje. O que a WebPeak fez para ajudar os webmasters a encontrar bons links?

Concentrou toda a sua experiência em construir ótimos perfis de links. Geralmente, a parte de conseguir links em diretórios se baseava nos 4 passos abaixo:

Procurar bons diretórios: bons diretórios são tão difíceis de achar como agulha no palheiro. Existem milhares (para não dizer milhões) de diretórios de baixa qualidade que tentam te convencer a jogar um link lá. Depois disso, seu e-mail é vendido para as mais diversas listas que você pode imaginar e seu SPAM vai ficar cheio!

Então, um bom diretório além de respeitar sua privacidade, te dá apenas o que você pede: um link.

Criar um cadastro nos diretórios: cada diretório tem um processo de cadastro diferente, pedindo dados diferentes e às vezes até dados que você não tem. Um diretório brasileiro pode pedir CPF e um americano pode pedir seu Social Security Number. Talvez você não tenha um dos dois, e isso já atrasa sua vida.

Submeter seu Link: aqui também cada diretório tem processos diferentes. Alguns pedem confirmação por e-mail, outros pedem captchas complicados e alguns pedem até confirmação por telefone! Sem contar na burocracia de alguns em pedir confirmação de identidade com documentos pessoais!

Esperar a confirmação: cada confirmação pode demorar um período de tempo diferente. Quando você trabalha para alguém ou está fazendo algum freelance, provavelmente tem prazos a cumprir. O que fica muito mais complicado quando você percebe isso é ter que dar um prazo muito grande para ver todos os links ativos.

Por isso tudo, a WebPeak criou a Ferramenta Insira seu Link. Você faz um cadastro e envia seu link para muitos diretórios. E o melhor: tudos os diretórios com nichos. Sem essa de enviar links de médico para sites de advogados. 

Mídia Espontânea

Podemos dizer que há basicamente três tipos de mídia à disposição das empresas, sendo elas: mídia espontânea (ou “earned media”, em inglês), mídia paga (“paid media”) e mídia proprietária (“owned media”).

Mídia espontânea trata-se do espaço conquistado por marcas em veículos ou canais de comunicação de terceiros sem que tenha sido feito um acordo em torno de recompensa financeira. É normalmente o resultado dos esforços dos trabalhos de relações públicas e assessoria de comunicação, que somadas garantem o resultado diante da mídia espontânea.

Por exemplo, o formato clássico de mídia espontânea é a menção positiva de uma marca em veículos de comunicação, como aparecer em um dos jornais televisivos em emissoras reconhecidas. Imagina aparecer espontaneamente (de forma positiva) no Jornal Nacional?

Prospecção

A prospecção de clientes trata-se de um processo bem definido, em que o objetivo é fazer a aproximação do seu público-alvo para preparar uma abordagem e contato de forma a introduzi-lo em seu funil de vendas. Isso é realizado somente após a passagem do lead por alguns filtros, que é o processo conhecido por qualificação de leads, etapa com maiores chances de conversão.

Para que a sua prospecção de clientes seja bem sucedida, é necessário realizar várias pesquisas e conhecer muito bem o perfil dos clientes, para então  identificar aqueles que podem ter interesse nos seus produtos ou serviços, para então, oferecer uma oferta.

A prospecção é o contato inicial com novos clientes, diante disso, tenha certeza de que sua equipe comercial está pronta para abordá-los da melhor maneira poss

Além disso há a prospecção ativa, que ocorre quando a área comercial é responsável por ir atrás de novos clientes por meio de algum canal para fechar negócios. E também a prospecção receptiva, ocorre quando pessoas interessadas entram em contato com sua empresa através de algum anúncio ou estratégias de inbound marketing.

Parceiros e Fornecedores

O fortalecimento das relações com os fornecedores significa, além de muitas outras coisas, conhecer melhor os processos e o modo de trabalho de cada um. A partir de um diálogo aberto e franco com os seus fornecedores você pode organizar melhor a sua cadeia de produção e venda, seus prazos internos e as entregas para os clientes. E, certamente também, processos mais eficientes geram melhores resultados.

Além disso, você pode garantir preços diferenciados, afinal, uma parceria com fornecedor requer condições diferenciadas de compra. Você pode negociar melhores preços em troca de exclusividade, por exemplo, ou assinar um contrato de longo prazo, demonstrando confiança no seu parceiro.

Nesse sentido, é importante que você compreenda as necessidades do seu fornecedor, oferecer condições interessantes para ambas as partes e assim conseguir repassar melhores preços aos seus clientes, mantendo ainda uma boa margem de lucro. O resultado disso pode ser o crescimento mútuo, que convenhamos não faz mal a ninguém. 

Web 2.0

É possível gerar milhares de links automaticamente a partir de propriedades da Web 2.0

Ou seja, fuja daqueles produtos de $5 do Fiverr que prometem 30.000 backlinks.

Tratam-se de links gerados por ferramentas que usam propriedades da Web 2.0,  como Blogger, Squidoo, WordPress e Hubpages. São links de baixa qualidade, dessa forma um link de alta velocidade irá atrair uma penalidade do Google. Links legítimos não surgem do dia pra noite. É momento de trabalhar para garantir bons links para seu site. 

FootPrint

Pensar em footprints não é algo difícil, entretanto, para compreender melhor o que estamos tentando identificar, é preciso lembrar de sistemas ou websites que possam fornecer um link. Footprint trata-se de um conceito que envolve visualizar os ‘’rastros’’ deixados na internet. 

Para isso, abaixo listamos os locais/sistemas mais comuns que lhe possibilitam obter links:

  1. Artigos de blog
  2. Diretórios
  3. Fóruns
  4. Wikis
  5. Especialistas da Área
  6. Tutoriais e Guias
  7. Associação de Profissionais
  8. Locais para Guest Post
  9. Redes Sociais
  10. Widgets
  11. Ferramentas Online
  12. Reviews de Produtos
  13. Vídeos

Dependendo do seu nicho, você pode usufruir de todos tipos citados acima ou ainda ter somente alguns deles. É muito difícil prever, porém temas relacionados a tecnologia tendem a possuir mais sistemas diversos como fóruns, blogs ou diretórios.

Alguns footprints possíveis: blogs, diretórios, guest posts, identificação de perfis sociais, identificação de fóruns, etc. 

Automação de Marketing 

A Automação de Marketing está cada vez mais fácil graças a softwares que tenham a capacidade de automatizar as ações de marketing do seu negócio de forma assertiva e organizada.

Embora saibamos da importância da implantação de um programa de automação de marketing, também é necessário reforçar que ter uma boa equipe de marketing é fundamental, pois a função da ferramenta é justamente otimizar o trabalho da equipe.

Sendo assim, construir uma boa estratégia de marketing é essencial, o que a automação vai fazer por você é deixar esse processo mais rápido e assertivo do que seria caso fosse feito manualmente.

Vamos dar um exemplo: sua empresa cria uma campanha de E-mail Marketing para toda sua base de contato e assim converter leads em clientes.

Com o software certo, é possível automatizar essa tarefa enviando e-mails a cada contato num só disparo, assim como é possível trabalhar um fluxo de nutrição, o que aumenta o engajamento dessas pessoas com a sua marca. Mas vamos explicar melhor abaixo! 

o que é seo, guia enterprise para conquistar a primeira pagina do google - webpeak

Sinais Sociais e o SEO

As estratégias de SEO tradicionais definiram um caminho para garantir um bom ranking dos buscadores. O mais comum era trabalhar com links em texto âncora e backlinks, o que já garantia os bons rankings na SERP dos buscadores.

No entanto, após muitas atualizações dos algoritmos do Google como o Panda e o Pinguim, o foco começou a mudar dando mais valor para o conteúdo de um site, e hoje o feedback das pessoas como os sinais sociais ganhou mais peso no SEO.

O que são sinais sociais?

Já percebeu quantas páginas possuem os símbolos das redes sociais flutuando na esquerda ou na direita, no final do post, no rodapé e no meio do conteúdo? O porquê dessa estratégia é claro: levar o tráfego do site para as redes sociais em compartilhamentos, fazendo com que mais pessoas voltem ao seu site e viralizem seu conteúdo.

Não diretamente. Mas indiretamente, sim.

Explico: O Google não acessa fanpages do Facebook e rastreia seus conteúdos. Nem mesmo se você deixar o seu perfil ou fanpage do Facebook totalmente pública, ele não consegue rastrear as informações.

Sinais Sociais e o desempenho de SEO

Ter um perfil em redes sociais que interage, traz conversas à tona tem vários resultados positivos no Google e aumenta seu desempenho em SEO:

AUMENTA A FORÇA DA MARCA

Se você já interagiu com o Twitter do Ponto Frio em busca de informações e ao pesquisar por uma televisão no Google viu um resultado do Ponto Frio, com certeza isso pesa positivamente na sua decisão de clicar ou não naquele snippet.

AUMENTA A EMPATIA PELO NOME DA MARCA

Marcas que tem produtos complicados mas resolvem seus problemas nas redes sociais (até o Reclame Aqui pode ser considerado uma rede social nesse caso) ganham pontos com clientes antigos e novos.

AGREGA VALOR AO PRODUTO, MESMO QUE SEJA APENAS DE REVENDA

O Enjoei é um caso de sucesso quando se trata de posicionamento de marca. E eles não vendem nada. Apenas intermediam a compra entre vendedores e compradores na sua plataforma. Se você já recebeu um e-mail marketing do Enjoei sabe do que estou falando.

AUMENTA O TRÁFEGO E, SE O CONTEÚDO FOR BOM, DIVULGA A MARCA

A Netflix é um case de sucesso básico ao se falar de como as redes sociais podem trazer novos clientes. Com Tweets e posts no Facebook que já marcaram história, vale pensar que eles não querem tráfego no seu site: eles querem criar uma conversa com potenciais clientes e não há forma melhor que isso do que criar uma cultura ao redor do que já fazemos há muito tempo: assistir filmes, animes e seriados.

Melhores Redes Sociais para fazer Sinais Sociais e Turbinar o SEO

Dentre todas as redes sociais, existem algumas que tem mais relevância para o SEO, como:

  • Pinterest: adicionar imagens com links diretos para diversas páginas do site;
  • Twitter: rede com alto dinamismo de informações, compartilhamento de links;
  • Linkedin: compartilhamento e criação de conteúdos com links;

Você pode estar pensando: mas e o Facebook e o Instagram?

Bom… essas redes não tem muita força no SEO de Redes Sociais. No Instagram por exemplo, não é possível colocar um link na postagem, e o Facebook, altera as urls das postagens na plataforma.

Mas não é por isso que você vai deixar essas redes de lado, afinal, em 2019 o Instagram reuniu 66 milhões de usuários no Brasil. Não dá para ignorar esse potencial de público, mas pensando em algo mais de relacionamento.

SEO Local

SEO Local garante que seja possível realizar mudanças em seu site, para otimizá-lo, de maneira mais simples e rápida. 

O que é SEO Local

O SEO local é uma estratégia que possui outras alternativas de otimização para permitir que o usuário encontre uma solução perto do local onde ele se encontra e assim consiga acessar mais rapidamente ao serviço ou produto que pesquisa.

O SEO local também funciona quando o usuário faz uma busca do tipo “pet shop em São Paulo”, automaticamente apresentará os resultados mais relevantes da busca, mesmo que a localização no momento seja outra.

Resumindo, o SEO local é um ‘’mecanismo de busca’’ que oferece resultados mais precisos e relevantes para o usuário, por isso não esqueça de otimizar seu site para esse tipo de busca.

Termos Locais

Para sermos mais objetivos quando ao SEO Local, se você pesquisar por “pet shop” no smartphone, o Google entende que você está buscando por um resultado próximo a você, assim você pode entrar em contato imediatamente e ter o problema solucionado. Neste caso o Google apresenta os resultados de pet shop que estão mais próximos, de acordo com a sua localização no momento da pesquisa.

Ferramentas de SEO Local

Conseguir ser listado e manter os rankings nos resultados locais não é uma tarefa muito simples, e isso se deve a diversos fatores como o espaço limitado da página, o tempo necessário para conseguir resultado e a concorrência pesada dos grandes players que investem em SEO, entre outros aspectos. Entretanto, existem ferramentas que podem automatizar muitas tarefas e são úteis para seu negócio. Confira!

Google Meu Negócio

Essa ferramenta gratuita é uma das tendências 2020 para o Marketing Digital que vem com um aumento de visibilidade. Por ser um recurso gratuito de divulgação de empresas com negócios pequenos e médios, este recurso é um aliado poderoso para estabelecimentos locais.

A ferramenta vem trazendo novas funcionalidades, além de poder expor ótimas respostas na página do Google de maneira gratuita, conta com atualizações quase que mensalmente que vão se destacar!

A importância da otimização do seu site vai estar presente nessa etapa, pois com as empresas se dedicando as novas funcionalidades a competição vai estar acirrada para os resultados destaques nas páginas de respostas do Google e Google Maps.

Bing Places

Aparecer nos resultados de buscas do Bing Places é muito vantajoso para seu negócio. Por mais que seja um buscador da Microsoft, que já não é tão popular quanto o Google, é sempre importante se cerca ao máximo de meios possíveis para aproveitar oportunidades.

Para ter acesso ao Bing Places é necessário que você tenha uma conta Microsoft.Confira o passo a passo que desenvolvemos para você:

  1. Acesse o Bing Places e clique em “Comece agora”;
  2. Realize uma busca para verificar se sua empresa já está no mapa. Se não encontrá-la, selecione a opção “Criar novo negócio”;
  3. Preencha os dados do seu negócio e confirme a operação;
  4. Confirme a propriedade por telefone ou cartão-postal;
  5. Para gerenciar a página, basta acessar o Bing Places e entrar com seus dados. Trate de mantê-la sempre atualizada.

Facebook Places

O Facebook Places tem tornado esta rede social semelhante ao Twitter frente aos check-ins de localização. Qualquer pessoa que criar um aplicativo e dependa de check-ins precisará usar o Facebook Places como base.

As implicações deste recurso em SEO são muitas, afinal, ter uma página de locais do Facebook rastreável para todas as empresas traz muitos benefícios .

Fatores de Ranqueamento Local

Uma importante pesquisa recente em SEO, apresentou o que mais importa em SEO local é: o Google Meu Negócio.

Segundo essa mesma pesquisa, o Google meu Negócio detém a maior fatia (25%) entre os fatores de rankeamento de SEO Local. Isso indica que o buscador está aumentando a importância desse recurso.

Em seguida, aparecem os fatores de links (16%) e de reviews (15%). Por outro lado, os sinais de citação da marca na web, embora ainda apareçam com 11%, tiveram um decréscimo de 19% em relação ao ano anterior a essa pesquisa.

Nível de relevância para o usuário

Além da adoção dessas estratégias que apresentamos até aqui, existem sinais que o Google considera no rankeamento local que você não tem muita influência: são os fatores comportamentais das pessoas quando visualizam o seu negócio nos resultados da busca.

São dados de relevância para o usuário que mostram ao Google o nível de engajamento dos usuários com as informações da empresa. Quando são significativos, eles evidenciam que o negócio está entregando aquilo que as pessoas querem saber.

Entretanto, não há muito o que fazer para otimizar os sinais de comportamento dos usuários, a não ser fazer a lição de casa, e preencher todas as informações corretamente.

Geolocalização

Além de tudo que apontamos acima, o SEO local também visa a otimização nos mecanismos de busca, entretanto, leva em consideração a geolocalização (Google Maps, por exemplo) e outros recursos, como as redes sociais, para que o usuário encontre uma solução perto do local que ele se encontra.

Por exemplo, já pensou Já pensou em ter sua empresa sendo localizada por uma pessoa que fez uma busca em sua cidade? Diante disso será possível atrair mais público, gerar novas vendas e ter uma presença mais relevante na internet.

Destaques

Ao fazer a sua busca de interesse através do Google, o SEO local irá indicar opções próximas a você, seja a busca por um restaurante, auto escola, etc. Além disso, esse recurso irá possibilitar que determinados estabelecimentos apareçam com mais destaques para o usuário.

Dessa forma, ele é uma excelente ferramenta para conversão de vendas, afinal, possibilita visibilidade na hora em que o cliente está em busca pelo produto ou serviço. Funciona praticamente como uma indicação do Google para você! 

Em resumo, o SEO local, além de incorporar os conceitos de otimização de busca de páginas, oferece também o item localização. O desdobramento disso é que a empresa tem mais relevância na busca orgânica, ganhando mais destaque, claro, dependendo da sua proximidade geográfica com o usuário.

Avaliações

Que atire a primeira pedra quem nunca leu uma avaliação de uma empresa antes de comprar um produto ou contratar um serviço pela internet… E estamos certíssimos. 

O consumidor moderno tem desenvolvido o hábito de ler as avaliações para então analisarem as classificações, sendo um fator decisivo de suas compras.

Se a sua avaliação em algum site é inferior a 4 estrelas (normalmente as estrelas vão de 1 a 5 estrelas), vale a pena ter atenção. Classificações ruins afastam os consumidores, e a internet hoje atua como um verdadeiro tribunal. Nesse sentido, a falta de classificações pode não transmitir credibilidade para sua marca.

Estimule seus clientes a realizarem uma avaliação de seu serviço ou produto! Mas não se esqueça: o que realmente irá motivá-lo é a qualidade do que você oferece, associados a um atendimento de excelência. 

Conclusão Geral sobre SEO

Quando falamos em otimização para buscadores (SEO), o comum é ter um determinado tempo para dar resultados. A paciência e o trabalho contínuo são muito importantes para alcançar as melhores posições do Google.

Uma coisa é certa: quando os resultados vêm, eles são poderosos e duradouros.

No entanto, para bons resultados é necessário focar em estratégias de otimização incomparáveis, ou seja, técnicas que realmente transformam a atuação de seu negócio na internet.

Algumas vezes fazer a otimização das suas páginas pode parecer complicado e demorado. Entretanto, ainda que exista outras atividades diversas para desenvolver no dia a dia, é possível conseguir uma série de pequenas ações que farão uma grande diferença no médio e longo prazo.

O mais indicado é ir aos poucos, ajustando alguns pontos e fazendo melhorias simples dentro e fora do seu site para conseguir alcançar o objetivo de posicionamento.

o que é seo, guia enterprise para chegar na primeira pagina do google - webpeak

Que tal um Checklist SEO

Abaixo temos uma lista de coisas importantes que você poderá pontuar e analisar o que pode ser feito para ser melhorado.

1 – Planejamento

Antes de qualquer coisa é preciso pensar na estratégia ou planejamento do seu conteúdo.

Se você está em busca de resultados consistentes com SEO é necessário que, em todos os seus artigos você escolha uma palavra chave relevante e de competitividade aceitável de acordo com a força do seu site.

2 - SEO Local

O SEO local é uma estratégia que possui outras alternativas de otimização para permitir que o usuário encontre uma solução perto do local onde ele se encontra e assim consiga acessar mais rapidamente ao serviço ou produto que pesquisa. Trata-se de um dos mecanismos de buscas que oferece resultados mais precisos e relevantes para o usuário, por isso não esqueça de otimizar seu site para esse tipo de busca.

Checklist SEO Onpage

SEO Onpage é a otimização que você pode fazer dentro do seu site, em outras palavras, é  possível melhorar fatores internos do blog e que não envolvem fatores externos.

Veja alguns exemplos:

Title tag

O title tag é o título da sua página e do seu texto. O Google leva em consideração a boa experiência do usuário e achando com facilidade o conteúdo que pesquisou demonstra quanto seu conteúdo é relevante.

Links internos

Os links internos são links dentro do seu site que apontam para outros artigos do seu próprio site.

Texto âncora

O texto âncora é aquela palavra ou frase que você insere o link para apontar para uma outra página. Esse link dá um certo peso positivo para o seu conteúdo, mantendo o usuário navegando entre as páginas.

Imagens – alt tag e nome do arquivo

Até mesmo as imagens do seu site também podem ser otimizadas para SEO no seu conteúdo. É possível trabalhar a palavra-chave das suas páginas em dois pontos:

  • Atributo Alt Tag da imagem;
  • Nomenclatura do arquivo.

Meta description

Essa é uma pequena que aparece no buscador abaixo do title tag do seu artigo. É preciso caprichar nessa parte para fazer com que o usuário clique e leia o seu texto ao invés de ler o artigo do concorrente.

Checklist SEO Técnico

Como em tantas outras áreas, sempre tem a parte técnica, e essa também não deve ser descartada é preciso ajustá-la no SEO. É nesse ponto que muitos necessitam de uma ajudinha com a programação.

Url amigável

A URL amigável é mais um fator que vai te ajudar a melhorar o seu posicionamento no google, além de passar mais confiança para o usuário.

SSL

O SSL é mais uma das ferramentas do Google que é considerado como um certificado de segurança como um fator de rankeamento.

Caso o seu site já possua um certificado não é preciso se preocupar. Mas se ainda não tem, o mais indicado é assinar junto ao seu provedor de hospedagem e fazer a instalação.

Sitemap

O Sitemap é um arquivo XML bem simples que aciona para os mecanismos de busca quais as páginas que você deseja que seja indexada nos servidores.

Se você utiliza o WordPress, existem alguns plugins que geram automaticamente como o Yoast SEO.

Robot.txt

O robot é um arquivo que você pode produzir em um bloco de notas que, indica para os robôs dos buscadores autorização de acesso a determinadas páginas ou pastas.

Para que tudo funcione existem alguns comandos específicos que direcionam os robôs habilitando diretórios que eles podem seguir ou não.

Conteúdo

Por último, mas não menos importante, o SEO também está na forma como você projeta  todo seu conteúdo.

Título

O título do seu conteúdo é o responsável por gerar a curiosidade no usuário que fez a busca através dos mecanismos e irá direcioná-lo para o artigo. É importante responder aos melhores comandos (H1...H2...H3), aplicando as palavras-chave corretas nos títulos para que o Google ‘’enxergue’’ seu site. 

Escalabilidade

Aqui encontram-se boas práticas de experiência do usuário, pois é a facilidade que o leitor tem de passar rapidamente pelo seu conteúdo e identificar tópicos e pontos importantes dentro do seu conteúdo.

Qualidade

O conteúdo é o que manda dentro do seu site. E com certeza é o fator que mais impacta no seu SEO.

Ninguém consegue passar muito tempo lendo um texto ruim, muito menos compartilha esse tipo de artigo. Isso acaba sendo um grande problema, pois a sua taxa de rejeição vai nas alturas e o post caí no esquecimento.

Checklist SEO Off-Page

Também temos fatores externos que influenciam no seu posicionamento no Google e são bem importantes.

Link Building

Este já é um ponto que tem um forte peso de ranqueamento. Os links externos, que direcionam para o seu site transferem parte da autoridade informando diretamente ao Google que o seu artigo é relevante.

Produza conteúdos que possam ser compartilhados

O primeiro passo importante é cuidar bem de seu lar para que ela possa ser elogiado pelos visitantes. Para tanto, você pode criar conteúdos ricos para os seus consumidores e o seu mercado.

Que tal desenvolver materiais que trazem dados de pesquisa, opiniões de especialistas no setor, avaliações técnicas, participação do público, soluções para problemas das suas personas, um pouco de humor, entre outros elementos? Afinal, são características de um conteúdo que costuma gerar um alto engajamento.

Temos uma dica principal: habilite funcionalidades de comentários na sua loja, afinal, eles irão gerar novos conteúdos e também irão ajudar no aumento da conversão do seu negócio. 

Desenvolva artigos que sejam relacionados ao seu produto, e que possam facilitar o comprador na tomada de decisão, além de aumentar as vendas, também irão servir como excelentes páginas a serem compartilhadas e mencionadas por outros domínios.

Faça comentários em blogs e fóruns da sua área

A sua participação nesses canais também podem render bons frutos. Sabe aquele site que você sempre acompanhou ou aquele fórum em que você é bastante ativo? 

Pois é, caso eles falem sobre temas pertinentes aos seus produtos ou conteúdos, sua loja pode se beneficiar. Não deixe de participar com comentários que venham agregar valor às publicações e aos debates dessas páginas. Não se trata de fazer spam, porém sim de aparições naturais e que, dependendo das suas respostas, podem vir agregadas com links para o seu blog. Compartilhar seus links nesses locais, também é bastante válido.

Escreva guest posts

Como já dissemos antes, não é possível controlar quais domínios irão citar o seu, mas escrever para determinadas fontes de tráfego de qualidade, com autoridade, são peças essenciais da estratégia. O guest post entra nesse momento, que é uma das técnicas mais antigas de link building, e reúne os esforços necessários para conseguir links externos.

Esta é uma prática que consiste em escrever conteúdos para outros sites e blogs como convidado. Esta finalidade, além de promover sua marca e ajudar a educar a audiência de um parceiro, colabora para inserir um ou mais links que vão ser redirecionados para a sua loja.

Para isso, procure sites que estejam em seu universo de atuação, atente-se para que não sejam os concorrentes diretos. O motivo é simples, concorrentes dificilmente liberariam seus espaços para você e, segundo, sua loja não precisará de visitantes que venham de sites de outros mercados, ou seja, tráfego pouco qualificado.

Compartilhe seus conteúdos e ofertas nas redes sociais

Como já mencionamos, os sinais sociais são importantes fatores de SEO off-page. Por isso, não se esqueça de alimentar os perfis nas mídias sociais com os conteúdos e ofertas do seu site.

Esse compartilhamento de informações é importante para SEO, e também para os usuários te identificarem como autoridade no assunto.

A todo momento que pintar um novo post no blog, uma promoção na loja ou uma oferta especial, compartilhe-os em suas páginas no Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube, entre outros canais. Outra opção válida é criar conteúdos exclusivos para esses canais e distribuir links que levem o público ao seu blog ou e-commerce.

Um exemplo, você pode criar um artigo para o LinkedIn Pulse ou um vídeo para o seu canal no YouTube com um review de um produto e, no final do conteúdo, deixar um link para que as pessoas não deixem de conferir a oferta na loja.

Disponibilize botões de compartilhamento em seu site

Para finalizar essa seção, permita e incentive que o público também possa viralizar o seu conteúdo. Insira botões de compartilhamento em suas páginas de produto e também de conteúdo. Dessa forma, sempre que as pessoas gostarem muito do que virem, elas poderão levar aquele post ou oferta para os seus seguidores.

Essa é uma cadeia que vai se retroalimentando. Muitas pessoas compartilham conteúdos, mais seguidores acessam o seu site, mais produtores de conteúdo conhecem o seu trabalho, mais backlinks surgem, mais autoridade sua loja adquire, e desse modo a corrente segue.

SEO off-page não é uma estratégia complicada de entender, mas sim de aplicar algumas de suas técnicas e, sobretudo, conseguir os resultados esperados. Afinal, o retorno não depende muito de você, mas uma forcinha pode ser feita para conseguir mais links e menções que sejam relevantes para o seu site.

Chegamos ao fim deste artigo. Busque soluções em SEO que realmente causem efeito para seu negócio. Nós da WebPeak temos orgulho em oferecer as melhores ferramentas de SEO, em um único lugar, para você obter resultados verdadeiros. 

Ufa, acredito que tenhamos dado uma panorama bem completo sobre SEO. Sentiu falta de algo? Conta pra gente!

Até a próxima!

Guia de SEO Enterprise

Leia outras publicações